Akram Khan
Desh

O bailarino e coreógrafo britânico de origem bengali fala sobre o solo Desh, obra-prima de seu repertório, sobre arte clássica e contemporânea, sobre dança Kathak. Entrevista gravada em outubro de 2014, no Teatro Alfa, São Paulo. 

Akram Khan Company
iTMOi

A Akram Khan Company estreou o espetáculo iTMOi (in The Mind Of igor) em 2013, quando se comemorou o centenário de A Sagração da Primavera, música do compositor russo Igor Stravinsky (1882-1971), feita para o balé homônimo coreografado por Vaslav Nijinsky (1890-1950). Para reinterpretar a Sagração, Akram Khan imaginou o que se passou na cabeça de Stravinsky, quando compôs a obra. Veja entrevista.

Lisa Nelson Vídeo 1

Este vídeo mostra trechos de uma gravação histórica do dueto “PA RT”, apresentado em 1983 em Nova York por Lisa Nelson e Steve Paxton, mestres da improvisação e personalidades históricas da dança moderna/contemporânea. Em entrevista preciosa, Lisa fala sobre o momento histórico em que o pós-modernismo eclodiu nos Estados Unidos na década de 1960, sobre sua parceria com Paxton, sobre sua pesquisa para a composição de movimentos.

Lisa Nelson 
Vídeo 2

Lisa Nelson, uma das artistas mais importantes da dança pós-moderna norte-americana, fala sobre sua pesquisa intitulada Tuning Scores, valioso instrumento para a composição de movimentos e que questiona a relação entre o corpo e a imaginação. Este vídeo também mostra Lisa em cena, na performance Attentionography, apresentada em Paris e em São Paulo, em 2014 (com participantes brasileiras).

Cia. Jant-Bi Jigeen – Germaine Acogny e Patrick Acogny
Afro-Dites/Kaddu Jigeen

Este vídeo tem como foco a dança africana representada pelo trabalho de Germaine Acogny e seu filho, Patrick Acogny. Personagem mítica da cultura africana, Germaine fundou no Senegal a Ecole de Sables. Veja entrevista com Patrick Acogny, que fala sobre o espetáculo apresentado em 2014 em São Paulo, no Sesc Pinheiros, sobre o trabalho que desenvolve junto com sua mãe, sobre a dança contemporânea na África.

Eduardo FukushimaHomem Torto

O bailarino e coreógrafo Eduardo Fukushima, de São Paulo, fala sobre seu trabalho, carreira e, especialmente, sobre Homem Torto, solo que surgiu a partir de uma residência artística realizada em Taiwan com Lin Hwai-min, o renomado coreógrafo e escritor, fundador da companhia Cloud Gate Dance Theatre. O espetáculo estreou em 2014 e já foi apresentado em vários países da Europa, Ásia e América. Homem Torto é desconfortável em si – uma dança não simétrica, que sugere um corpo frágil, mas com o vigor dos fortes.

Alonzo King LINES Ballet
Constellation

O coreógrafo norte-americano Alonzo King, que já foi comparado a William Forsythe por causa das novas perspectivas que ele cria para a técnica clásica, dirige a companhia LINES Ballet em San Francisco (EUA) desde 1982. Em 2014, o grupo apresentou no Teatro Alfa (São Paulo, SP) o espetáculo Constellation, que explora a orientação dos corpos com relação à luz. Nascido no estado americano da Georgia, em 1952, ele fala, em entrevista, sobre suas concepções estéticas e sobre a importância de se inserir a arte no processo educacional. 

Cia. Fragmento de Dança – Vanessa Macedo
Aos vencedores, as batatas

O espetáculo que a companhia dirigida por Vanessa Macedo estreou em 2014 explora o sentido da palavra “ruptura” sob a perspectiva do humor, da crítica e da ironia. Em entrevista, a coreógrafa fala sobre Aos vencedores, as batatas, sobre sua trajetória e expressa seus pensamentos como artista da dança.

Jorge Garcia
Divineia

Divineia, de Jorge Garcia, foi concebido originalmente para o Balé da Cidade de São Paulo e remontado em 2014 para a J.Gar.Cia Dança Contemporânea, companhia fundada e dirigida pelo coreógrafo e autor do espetáculo.

O livro Estação Carandiru, de Drauzio Varella, foi um dos pontos de partida de Divineia, nome dado pelos presidiários ao pátio onde fica a sala de revista corporal.

Em entrevista, Jorge Garcia fala sobre esta criação e sua poética e também sobre sua carreira de bailarino e coreógrafo.