Meg Stuart encena a acidez da família

Há dois anos a norte-americana Meg Stuart abria uma nova página na sua pesquisa que relaciona dança, teatro e artes plásticas, com All Together Now, que gerou repercussão controversa. Nesse espetáculo sobre o conceito de “grupo”, a fronteira entre performer e público, mas também entre esferas pública e privada, construía a linha dramática. Em 2009 ela voltou à cena européia com uma nova obra, concentrada de maneira ainda mais específica na temática do grupo: Do Animals Cry aborda a família sob um ângulo cáustico, ácido. Uma família com todas as suas fraquezas e segredos. Num virtuoso jogo de papéis, os bailarinos-atores trocam de personagem sutilmente, um entrando no papel do outro ao longo da peça. Gestualmente, Meg continua fiel à sua linha, desconstruindo gestos (cotidianos, nesta peça), de maneira fluida e desconcertante.

No início de 2010, o Damaged Goods, grupo dirigido por Meg Stuart, estará em turnê pelo Canadá com Do Animals Cry.

Companhia: Damaged Goods
www.damagedgoods.be
Coreógrafa: Meg Stuart
Peça: Do animals cry

Quando: 24 a 27/2/09
Onde: Théâtre Usine C, Montréal, Canadá, www.usine-ce.com

Quando: 3 a 6/3/09
Onde: Harbourfront Centre, Toronto, Canadá, www.harbourfontcentre.com

Quando: 10 a 13/3/09
Onde: Theatre Junction Grand, Calgary, Canadá, www.theatrejunction.com