Toda aquela Dança inaugura nova fase no Centro Cultural São Paulo

O Dia Internacional da Dança ou Dia Mundial da Dança é comemorado em 29 de abril desde 1982, quando a data foi criada pelo Conselho Internacional da Dança (CID) da UNESCO (Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura). Para marcar a data em sua programação, o Centro Cultural São Paulo (CCSP) realiza o evento Toda aquela dança.

Com palestras, depoimentos e apresentações, Toda aquela Dança procura lançar um olhar e refletir sobre uma parte importante da história da dança paulista realizada no Centro Cultural São Paulo. Para rever esse caminho, a programação destaca a coleção de dança do Arquivo Multimeios do CCSP e a participação de criadores cujas trajetórias se fundem com a história do próprio Centro Cultural.

O evento inaugura nova fase no CCSP, agora sob direção de Erika Palomino e curadoria de dança de Sônia Sobral (leia mais em https://bit.ly/2vktKxz).

Foto: Divulgação
Eduardo Fukushima em Oxóssi para/com Denilto Gomes

Programação: 

24 de abril/2019, quarta-feira – 19h30 às 22h

Dança e Memória com Christine Greiner, professora livre-docente em Comunicação e Artes pela PUC-SP, pesquisadora e escritora.

O objetivo é pensar coletivamente como a dança lida com a memória a partir de três perspectivas: quando se refere explicitamente a uma obra, a um treinamento ou ao legado de um artista, quando explicita a memória do (próprio) corpo; e quando testa o que se tem chamado de reenactement de questões, imagens e movimentos que insistem.

Depoimento e apresentação com Eduardo Fukushima, coreógrafo, dançarino e professor formado em Comunicação das Artes do Corpo pela PUC-SP.

Em 2017, Fukushima foi convidado pelo Centro Cultural São Paulo para criar uma homenagem em dança para Denilto Gomes, importante dançarino paulista que faleceu em 1994. A apresentação compartilha o processo de criação de Oxóssi para/com Denilto Gomes, solo que expressa o encontro desses dois artistas de gerações diferentes, assim como o encontro de Fukushima com o acervo multimeios do CCSP, onde realizou a pesquisa. A partir do vídeo Oxóssi de Denilto Gomes, Fukushima cria sua própria representação de Oxóssi.

Público alvo: estudantes e artistas da dança e interessados em geral.

Número de vagas: 40 pessoas.

 

Foto: Divulgação
Denilto Gomes em foto do Arquivo Multimeios do CCSP.

25 de abril/2019, quinta-feira – 19h30 às 22h

As pesquisadoras Cristina Coelho, Marta Paolicchi e Renata Xavier apresentam a coleção de dança do acervo do Arquivo Multimeios do CCSP.

A apresentação revisitará a história desde o contexto inicial, quando o acervo foi criado pelo IDART (Departamento de Informações e Documentações Artísticas da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo) até a apresentação das coleções atuais, por meio de imagens fotográficas, slides, assim como livros e programas.

No Foyer do Centro Cultural São Paulo o público poderá usufruir de imagens especialmente selecionadas, exibidas em televisões, até ser conduzido para a sala onde acontecerá o encontro.

Depoimento e apresentação com Sandro Borelli, coreógrafo, professor, iluminador, fundador e diretor artístico da Cia Carne Agonizante, de São Paulo. É o atual presidente a Cooperativa Paulista de Dança.

O premiado artista, cuja carreira foi, em grande medida, construída no CCSP, apresentará um trecho da coreografia Balada da Virgem – Em nome de Deus, inspirada na figura de Joana D’Arc. O espetáculo se alimenta da força física, espiritual e das contradições políticas e religiosas contidas na personalidade desta heroína feminina. As dores, angústias, perturbações e a inabalável crença dela foram transformadas em uma tensão física permanente. Por meio da dança, o bailarino traz para a cena a energia revolucionária de Joana D’Arc, movida pela fé em nome de uma causa.

Público alvo: estudantes e artistas da dança e interessados em geral.

Número de vagas: 40 pessoas.

Foto: Alex Merino
Sandro Borelli em Balada da Virgem.

26 de abril/2019, sexta-feira – 19h30 às 22h

Três gerações de dança, com Célia Gouveia, Angela Nolf, Helena Bastos e Raul Rachou.

Célia Gouveia, com carreira sólida e premiada, começou sua trajetória em parcerias marcantes com Ruth Rachou e Renée Gumiel. Participou da primeira turma do Centro MUDRA de Maurice Béjart, na Bélgica. Foi professora e diretora de dezenas de artistas da dança.

Angela Nolf, formada pela Escola de Dança de São Paulo, é professora do Curso de Dança da UNICAMP (Universidade Estadual de Campinas).

Helena Bastos é bailarina, coreógrafa e professora na graduação e pós-graduação do Departamento de Artes Cênicas/CAC da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. É coordenadora pedagógica do CAC e vice-diretora do TUSP (Teatro da Universidade de São Paulo).

Raul Rachou, intérprete, criador e professor, entrevistará essas artistas referenciais para gerar reflexões em conjunto sobre a história da dança paulista nas décadas de 1970 a 1990.

Célia Gouveia, Angela Nolf e Helena Bastos pertecem a gerações distintas, mas têm em comum uma trajetória profissional entrelaçada com a intensa programação de dança do Centro Cultural São Paulo.

Público alvo: estudantes e artistas da dança e interessados em geral.

Número de vagas: 40 pessoas.

 

27 de abril/2019, sábado – 17h às 19h30

Arqueologia do Futuro, com Thelma Bonavita.

Artista e coreógrafa, Thelma Bonavita desenvolve um trabalho autoral que se dá pelo cruzamento entre coreografia, artes visuais e moda. Foi co-fundadora do estúdio Nova Dança, da Plataforma Desaba e do Como Clube. Atualmente vive e desenvolve trabalhos entre São Paulo e Berlim.

A ação se inicia com uma visita-experimento ao arquivo de imagens de dança do CCSP. A partir de rastros da história serão projetadas danças no presente-futuro por meio de discussões e práticas corporais. A performance ou “coreografia do futuro” será elaborada por escrito, por colagem no papel ou por movimento corporal, gerando um estudo de possibilidades de futuras composições. Um jogo imaginativo entre contextos e imagens. Arqueologia do Futuro é um exercício ou ferramenta que apropria-se da história ativamente, com o objetivo de obter respostas compartilhadas para problemas atuais.

Público alvo: estudantes de dança, arte e interessados em modos de criação.

Número de vagas: 25 pessoas.

 

28 de abril/2019, domingo – 14h30 às 19h

A Cooperativa Paulista de Dança promove pelo segundo ano consecutivo uma série de ações ao longo do mês de abril. As discussões com a classe de dança estarão concentradas no domingo, no CCSP, na programação de Toda aquela Dança.

Roda de Conversa 1, das 14h30 às 16h30: Cooperação Cultural como ato de resistência. Com: Sandro Borelli (Cooperativa Paulista de Dança); Rudifran Pompeu (Cooperativa Paulista de Teatro), Gal Martins (Fórum Permanente de Dança Contemporânea – Corporalidades Plurais) e Helena Bastos (Movimento A Dança se Move).

Mediação: Michele Carolina (artista, educadora e produtora, membro do conselho administrativo da Cooperativa Paulista de Dança).

Roda de Conversa 2, das 17h às 19h : Modos de produção e criação cênica na atual conjuntura política e econômica.

Com: Marcos Moraes (artista, docente, curador e produtor cultural);   Yáskara Manzini (doutora em Artes Cênicas e mestre em Artes pela UNICAMP, Especialista em Arte & Comunicação e Licenciada em Artes Cênicas pela Faculdade Paulista de Artes); Anelise Mayumi (especializada em dança e produções artísticas e culturais. Realiza diversas ações artísticas e formativas junto ao grupo Fragmento Urbano na Zona Leste de SP) e Vanessa Macedo (dançarina, coreógrafa e diretora da Cia Fragmento de Dança, é uma das gestoras do Kasulo Espaço de Cultura e Arte)

Mediação: Paula Salles (Mestre em Comunicação e Semiótica pela PUCSP. Especialista em Estudos Contemporâneos em Dança pela Universidade Federal da Bahia. Licenciada em Dança pelo Instituto de Artes da Universidade Estadual de Campinas).

Essa atividade tem o apoio do CCSP através da curadoria de dança.

Público alvo: classe artística da dança e interessados em geral.

Número de vagas: 40 pessoas.

 

 

Onde:
Centro Cultural São Paulo
Sala de Ensaio 1
Quando:
24 a 28 de abril/2019
Quarta-feira a domingo
Quanto:
Grátis
Info:

Rua Vergueiro, 1.000, Paraíso, São Paulo (SP). Estação de metrô: Vergueiro.

Local: Sala de ensaio 1.

Todas as atividades são gratuitas, sem necessidade de retirada de ingresso ou inscrição prévia.