‘Terça Aberta na Quarentena’ apresenta criações de Liliane de Gramont, Rebeca Tadiello e Valeska Gonçalves

Três artistas da dança – Liliane de Gramont, Rebeca Tadiello e Valeska Gonçalves – compartilham trabalhos que vêm sendo gestados nesses tempos de isolamento social – respectivamente, Casa de Vidro, Teste e Miscelânea Meditativa –, na Terça Aberta na Quarentena, via plataforma online. A composição dos trabalhos da noite e a mediação da conversa depois das apresentações são da coreógrafa Vanessa Macedo, diretora da Cia Fragmento de Dança, propositora da ação.

Contando com a participação especial do músico e ator Ed Côrtes no roteiro e trilha sonora, Liliane de Gramont dança  o solo Casa de vidro provocada pelo encontro com as esculturas Maman (mãe em francês), conhecidas como as “aranhas gigantes” da artista plástica Louise Bourgeois  (1911-2010), que criou sua obra movida pela investigação contínua da psique humana. Em processo de criação, Casa de Vidro tenta revelar, por movimentos, a interioridade, o diálogo com o que sentimos necessidade de colocar para fora, a busca de um corpo transparente. Histórias e memórias são, aqui, materiais infindáveis de exploração performativa e dramatúrgica.

Em seguida, Rebeca Tadiello apresenta Teste, experimentação em dança que surge a partir de um corpo que está basicamente 24 horas por dia em casa; um corpo que exerce um tipo de contato com outros corpos, de sociabilidade e de presença, que se dá a partir de plataformas, de redes e aplicativos que possibilitam o contato virtual. A mini-peça é performada ao vivo de modo online, mas pode ser reverberada também em outros formatos e registros compartilhados em rede.

Foto: Divulgação
Rebeca Tadiello

Ao utilizar o ambiente sonoro captado no interior do lar como estímulo para a reflexão dos episódios da atualidade e o corpo como processador dessa interferência, Valeska Gonçalves, em sua Miscelânia Meditativa, faz da escuta um portal para as reações via movimento. Determina um estado de presença, onde assimila e busca acomodar internamente toda a desordem à sua volta. As emoções despertadas pela sonoplastia (Erick Galdino) apreendida se desdobram em tentativas de apropriação meditativa.

Foto: Divulgação

Para assistir, o público deve fazer inscrição no link https://bit.ly/tercaabertajulho ; no dia do evento, será enviado um link para acesso à plataforma ZOOM, por e-mail e telefone.

A ação faz parte do projeto Autodepoimento na cena, contemplado pela 27ª Edição do Programa de Fomento à Dança para a Cidade de São Paulo.

*Artistas interessados em compartilhar seus trabalhos podem se inscrever no site https://www.ciafragmentodedanca.com.br/

Sobre as três artistas

Liliane de Grammont – Bailarina do Balé da Cidade de São Paulo, da Quasar Cia de Dança, da Distrito Cia de Dança e da Cia Siameses, estudou dança na The Juilliard School, em Nova York (EUA). Diretora da Escola e do Núcleo Tentáculo de Dança e curadora da Sala Cênica Lá em Casa, é professora e provocadora de investigações na dança contemporânea. Formada em psicologia e psicanálise, é especializada em terapia corporal neoreichiana. Em 2019, foi indicada ao prêmio APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) pela interpretação no trabalho Mulheres, de Henrique Rodovalho.

Rebeca Tadiello – Graduanda em Comunicação Social pela ECA-USP (Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo), participa de companhias independentes de São Paulo.  Em 2018/2019, desenvolveu uma pesquisa de Iniciação Científica – bolsa FAPESP -, com interface em Dança e Ciências da Comunicação.  Atualmente, ministra aulas de dança contemporânea e vem desenvolvendo trabalhos experimentais em dança-virtual como Teste, realizado a partir do chamamento Poesia nos Escombros (2020).

Valeska Gonçalves / Nalini Cia de Dança – Carioca, formada em dança pela Faculdade da Cidade – RJ, integrou o elenco de bailarinos da Quasar Cia de Dança (GO) de 2002 a 2019. Em 2016, fundou a Nalini Cia de Dança, criando os trabalhos Anarthas, Um mero deleite e Titiksha, solo que teve sua estreia em outubro de 2019, no Festival internacional Cena Cumplicidades, de Recife, e foi premiado como melhor espetáculo no Festival de Monólogos, em Fortaleza. A criação também fez parte do projeto Cruzamentos, no Sesc Ipiranga (fev/2020). Premiada como melhor coreógrafa no Festival Internacional de Dança de Goiás/2018, foi indicada ao Prêmio Cesgranrio de Dança/2019, como melhor bailarina.

Terça Aberta

  • A Terça Aberta, que antes da pandemia acontecia mensalmente no Kasulo – Espaço de Cultura e Arte (SP), nasceu em 2016, viabilizada pelo Programa de Fomento à Dança para a cidade de São Paulo, e tornou-se uma ação permanente e contínua da Cia Fragmento de Dança. Espaço de intersecção, debate e difusão de trabalhos de dança, teatro e performance, participam artistas que desejam compartilhar seus processos, trocando impressões entre si e com o público, uma vez que, ao final das apresentações, é aberta uma roda de conversa. Em 2017, a companhia recebeu o prêmioDenilto Gomes, na categoria “difusão em dança”, por esta iniciativa.
Onde:
Internet
Quando:
Via plataforma Zoom
Quanto:
Grátis
Info:

Para assistir, o público deve fazer inscrição no link https://bit.ly/tercaabertajulho ; no dia do evento, será enviado um link para acesso à plataforma ZOOM, por e-mail e telefone.