Núcleo EntreTanto, de Wellington Duarte, estreia ‘Gestus 4.13’, fruto do encontro entre Daniel Kairoz e Núcleo KASA

Gestus 4.13 é resultado do encontro entre Daniel Kairoz, diretor do Terreyro Coreográfico, e o Núcleo KASA. O espetáculo, que estreia agora no CRDSP – Centro de Referência da Dança de São Paulo, é o quarto e último “gesto coreográfico” do projeto Situações Coreográficas#Variação 3: Uma Coisa Muda, do Núcleo EntreTanto, que tem coordenação e direção geral de Wellington Duarte. A finalização do projeto culminará com a apresentação de todos os artistas envolvidos nos gestos anteriores (Gestos 1, 2, 3 e 4 – apresentados de fevereiro a junho de 2019), no dia 8 de junho/2019, no Complexo Cultural Funarte, em São Paulo (SP).

Daniel Kairoz é artista visual, poeta, performer, coreógrafo, dançarino, cineasta, editor, pensador. Em 2014 começou a trabalhar as coreografias dos espaços públicos com a ação Artistas Comem Art Palácio. Hoje ele coordena o projeto Terreyro Coreográfico, que cruza arquitetura e coreografia, com a intenção de repensar e re-coreografar espaços públicos, projetos urbanos e arquitetônicos da cidade.

O Núcleo KASA surgiu em 2015, em Itaquera, zona leste de São Paulo. O grupo pesquisa a estética urbana, periférica, utilizando uma dramaturgia cênica autoral e híbrida entre linguagens como teatro, fotografia, música e artes plásticas. Suas investigações se apoiam nas mídias digital de massa, na pesquisa sociocultural do ambiente público e privado.

Intérpretes: Karina Ka Pinheiro, Juliana Celeguim e Richard Reis (Núcleo KASA), Caroline Lucena, Erika Malavazzi, Fábio Paiva, Flora Barros, Gustavo Muliterno, João Pedro Ribeiro, Luann Dias, Sylvia Aragão (convidados), Aline Brasil, Maria Basulto e Rafael Costa (Núcleo EntreTanto).

Foto: Keiny Andrade

Sobre o projeto Gestos Coreográficos

Quais são as possibilidades de criação artística a partir do tema Situações de Levante? Quais os modos de atuar em dança em um período político pouco favorável à arte? Como confrontar os modos de criação de cada companhia a partir de um tema e desdobrar essa ação em debates, espetáculos e partilha entre os artistas? Foi a partir desses e outros questionamentos que o Núcleo EntreTanto criou a ação Gestos Coreográficos, parte do projeto Situações Coreográficas#Variação 3: Uma Coisa Muda, contemplado pela 24ª edição do Programa Municipal de Fomento à Dança para a Cidade de São Paulo.

Cada apresentação/gesto contemplou um coreógrafo de trajetória consolidada na área e um grupo emergente, cujas atividades foram iniciadas nos últimos anos. As ações anteriores do projeto foram Konstituição em Segunda Instância, primeiro gesto coreográfico, dirigido por Sandro Borelli com o Grupo Ca.Ja, em fevereiro. Os coreógrafos Márcio Greyk e David Xavinho – diretores do grupo Zumbboys – e o Coletivo Autônomo Temporário, apresentaram em março Pulsar, Pulsar Zero, Pulse, RePulso. Em maio, a coreógrafa Helena Bastos – diretora do grupo Musicanoar – e o Núcleo Enxertia apresentaram Paisagens de Passagem.

Como reforço do tema “situações de levante” – a partir do livro Levantes, escrito pelo filósofo francês Georges Didi-Huberman – os grupos também receberam uma série de indicações de filmes, vídeos, registros fotográficos de instalações de artes plásticas, fotografias históricas e textos que discutem de alguma forma essas circunstâncias. “As linguagens dos oito grupos que integram o projeto são muito diferentes entre si e a proposta é observar como cada um deles constrói a sua dramaturgia e como é possível cada um se contaminar pela criação do outro. É importante que todos estejamos próximos – os mais novos e os mais velhos –  e que criemos ações conjuntas e potentes”, afirma o artista.

Um ponto de convergência importante entre os grupos é a busca por alternativas para sustentar seus trabalhos e pesquisas artísticas no contexto político atual. “Fomos todos afetados violentamente pelo desmonte, não dá para ficar indiferente”, ressalta Wellington em referência à extinção do Ministério da Cultura e redução de editais e verbas destinadas à dança em São Paulo e também no Brasil.

Onde:
CRDSP – Centro de Referência da Dança da Cidade de São Paulo
Quando:
3 a 5 de junho/2019
Segunda a quarta-feira, 19h
Quanto:
Grátis
Info:

Galeria Formosa, Baixos do Viaduto do Chá, s/nº, Centro, São Paulo (SP), tel. (11) 3214-3249.

Classificação etária: livre.