Modos de Existir 2016 

O Modos de Existir, evento de dança do Sesc Santo Amaro, chega à sua sexta edição. Durante quatro dias, a programação de 2016 reúne convidados de oito estados brasileiros – Bahia, Ceará, Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo – para apresentações de espetáculos, intervenções, bate-papos, workshop, lançamentos e feira de livro realizadas na unidade e no entorno dela, nas ruas e praças do bairro de Santo Amaro, em São Paulo. Marcos Villas Boas é o coordenador do projeto e divide a curadoria com a coreógrafa e pesquisadora em dança Sigrid Nora, de Caxias do Sul (RS).

Em 2016, o tema do Modos de Existir são as publicações de dança. Segundo Marcos Villas Boas, “o objetivo é mapear, no país inteiro, o fluxo crescente de ocupação da dança em várias e diferentes plataformas, sejam reais, virtuais, digitais ou impressas. A cena agora é ocupada não só no palco, nas ruas ou em vídeos, mas está nas universidades, em teses de mestrado, doutorado, nos livros,  em publicações digitais. São maneiras da dança também existir”.

Uma novidade desta edição, em relação aos anos anteriores: ao enxergar a importância de ter o registro do que é feito em dança, o SESC SP fará o lançamento de uma plataforma com todo o material já documentado sobre Modos de Existir e que continuará a ser alimentado a cada módulo no Portal SESCSP – assim o conteúdo pregresso, com informações de todos as edições anteriores do evento, ficará disponível. Foram cinco edições realizadas, cada qual com seu tema e abrangência (em 2012, Coletivos, em 2013, Parcerias e Colaborações, em 2014, Companhias, Grupos e Núcleos, em 2014, Solos e em 2015, Intervenções). O site vai abrigar históricos, sinopses, fotos e textos de reflexões, surgidos a partir das provocações dos encontros nesses anos de existência do projeto.

Programação de Modos de Existir/Módulo 6: Publicações de Dança

Espetáculos

. 21/06. Terça, 21h às 22h. Teatro | 14 anos | R$ 17,00. R$ 8,50. R$ 5,00.

Foto: Divulgação

  Ana Vitória Dança Contemporânea (RJ) – Afinal, O Que Há Por Trás da Coisa Corporal?: Nesta performance-solo, a coreógrafa se exibe dentro de uma tenda criada pelo cenógrafo Sergio Marimba. Ana Vitória estabelece um diálogo com as artes plásticas, usando referências dos neoconcretistas, em especial de Lygia Clark (1920-1988).

 . 22/06. Quarta, 21h às 22h30. Teatro | Livre | R$ 17,00. R$ 8,50. R$ 5,00.

  Antonio Nóbrega – Com Passo Sincopado: Aula-espetáculo na qual Antônio Nóbrega explora as possibilidades e sentidos da síncopa (elemento rítmico que cria uma relação tensa entre os tempos fortes e fracos do compasso) para propor uma leitura da cultura brasileira, em que o artista apresenta a natureza e características do imaginário corporal popular brasileiro e o modo como esse imaginário, se articulando na constituição de uma linguagem brasileira de dança, sugere pistas e indicações para uma interpretação e compreensão do país.

MODOS DE EXISTIR SSAMARO 2016 Gustavo Ciríaco Viagem-redonda-  . 23/06. Quinta, 21h às 22h. Teatro | Livre | R$ 17,00. R$ 8,50. R$ 5,00.
Gustavo Ciríaco (Rio de Janeiro/RJ) – Viagem Redonda:
Solo que condensa 20 anos de carreira e de vida, um pot-pourri de momentos e estratégias que seduzem o espectador a visitar o universo do artista. Um barco zarpa rumo ao horizonte e desse mesmo horizonte um dia ele retorna. Um termo marítimo, viagem redonda dá o nome a uma viagem inteira, um ir e vir, duas metades de uma mesma travessia. Aqui a viagem já se iniciou noutro porto. O aqui é o destino. É um mirante que acompanha um vir. Um homem que vem ao público se apresentar.

. 24/06. Sexta, 21h às 22h | Livre | Grátis. Reservas/ingressos apenas pelo tel. (11) 95488-2127 de 16 a 23/06 das 10 às 19h. Local: Será informado no momento da reserva. Capacidade: 60 lugares.

Cláudia Muller (Rio de Janeiro/RJ) – Help! Need Somebody: A performance é um convite para o encontro, trazendo o foco para o coletivo temporário formado quando um número de pessoas configura o chamado público. Uma pessoa no escuro de uma plateia é a primeira imagem que surge quando se pensa, tradicionalmente, no espectador. Quais as implicações de retirar o público do lugar de invisibilidade? Mas, antes disto… Temos público? Onde ele está? Ele virá? Talvez seja preciso buscá-lo em sua casa sempre que alguém sinalize: “acho que vou assistir a este espetáculo”. Help! é uma criação povoada, um convite para juntos “perdermos tempo” (no melhor sentido desta expressão) com a produção de uma economia em que tempo não seja sinônimo de utilidade ou dinheiro, mas o entrelaçar de experiências (científicas ou não!).

  . 25/06. Sábado, 20h às 21h. Teatro | 14 anos | R$ 17,00. R$ 8,50. R$ 5,00. Ronda Grupo (Florianópolis/SC) – Lugar Nenhum: A fundamentação da pesquisa de corpo partiu do cruzamento entre histórias pessoais, escritos de Gilles Deleuze e a improvisação como processo para desenvolvimento de material (prática de pesquisa do grupo desde 2005). O resultado desse encontro trouxe a inexistência de personagens e uma quantidade de lugares, situações e relações que constroem uma espécie de rede, um enigma provocativo. A dança que o grupo investiga explora a potencialidade das variações gestuais no mecanismo de um corpo articulado. Os temas particulares dos dançarinos surgiram como pretextos para essa exploração e, acima de tudo, desencadearam o desafio. Desta maneira, no lugar da representação complexa e simbólica, buscou-se a vertigem corporal de gestos. Através dos estímulos por jogos e tarefas, revelam-se estados de corpo e as sensações que estes estados evocam, constituindo a afirmação nostálgica da memória que permanece como parte da experiência vivida, intensificada ao ser deslocada para o aqui e agora. Direção Zilá Muniz. 

Intervenções

. 21/06. Terça, 19h às 20h30 | Livre | Grátis. Local: Praça Floriano Peixoto/Calçadão da R. Capitão Tiago Luz – Santo Amaro. 

Coletivo Cartográfico (SP) – Rastros: Integrante da série de performances –  ações site-specific – que o Coletivo tem realizado desde o início de 2014, Rastros investiga as relações corpo-materialidades-cidades que deixam rastros temporários, que testemunham por um tempo mais dilatado do que o do ato performativo, a memória de alguma ação humana coreográfica.

. 21/06. Terça, das 19h às 20h30 | Livre | Grátis. Local: Sala Múltiplo uso (térreo).

Dani Lima (RS) – Conversa Dançada: Misto de conversa e performance, a artista apresenta ao público trechos do livro e do espetáculo 100 Gestos

Foto: Divulgação
Anti Status Quo Cia. de Dança - Sacolas na Cabeça

  .  22/06. Quarta, 13h30 às 14h30 | Livre | Grátis. Local: Praça Floriano Peixoto/Calçadão da Rua Capitão Tiago Luz – Santo Amaro.

Anti Status Quo Cia de Dança (DF) – Sacolas na Cabeça: Uma intervenção urbana em que performers andam pela cidade com sacolas de compras na cabeça. Confeccionadas como máscaras, as sacolas de papel são um convite à interação e por isso podem ser consideradas objetos relacionais. Distribuídas, promovem a relação dos dançarinos com as pessoas na rua. A possibilidade do anonimato facilita proposições lúdicas e corporais entre interventor e transeunte e vice-versa. Para quem assiste a intervenção, não é possível distinguir quem é o artista propositor ou o habitante da cidade, eles são iguais. 

. 23/06, quinta, das 11h às 15h – Pça Floriano Peixoto/Calçadão da Rua Capitão Tiago Luz – Santo Amaro.
25/06, sábado, das 11h às 15h – Sesc Santo Amaro.
Livre | Grátis.

Núcleo Tríade (SP) – Série Cartocoreográfica: Com fitas adesivas e canetas piloto, o Núcleo Tríade imprime rastros do/no espaço vivo, tornando visíveis novas coreografias do tecido urbano, resultando numa instalação das “coreografias ordinárias do dia-a-dia”.

. 23/06. Quinta, das 19h às 20h30 | Livre | Grátis. Local: Sala Múltiplo uso (térreo).

Luciana Lara (SP) – Conversa Dançada: Palestra-instalação dançada a partir do livro “Arqueologia de Um Processo Criativo – Um Livro Coreográfico”, de Luciana Lara com a Anti Status Quo Companhia de Dança de Brasília-DF. Em ambiente imersivo de uma instalação, bailarinos interagem com projeções de vídeo e instalações sonoras enquanto a autora aborda o desafio e as soluções de colocar em formato de um livro um registro de um processo criativo em dança. 

Foto: Divulgação
Gustavo Ciríaco - Enquanto caminhamos

  . 24/06. Sexta,  11h às 12h e 14h às 15h. 25/06. Sábado, 11h às 12h e 14h às 15h. Local: Calçadão da Rua Capitão Tiago Luz – Santo Amaro.

Gustavo Ciríaco – Aqui Enquanto Caminhamos: Inspirados na ideia de obra como experiência e na longa tradição que une o caminhar à produção de pensamento e lucidez, os artistas levam o público para uma jornada silenciosa através da cidade, investindo uma outra política de partilha e percepção do espaço urbano. Envoltos por um grande elástico branco, os espectadores seguem em passeio, como uma espécie de escultura viva, em que exterior e interior se misturam continuamente, em que o lugar é sempre movente e movido.

Bate-papos

Criações e Escrituras 1 – Operações colaborativas em dança: Encontro entre artistas e pesquisadores discutindo as relações entre a criação artística e a escrita sobre dança. Com Gustavo Ciríaco (RJ), Carmen Morais (Núcleo Aqui Mesmo/SP), Antônio Nóbrega (SP), Uxa Xavier (Cia Lagartixa na Janela/SP), Cláudia Muller (MG), Carlinhos Santos (RS) e Zilá Muniz (Ronda Grupo/Florianópolis). Mediação de Thereza Rocha (RJ/Fortaleza). Foyer do Teatro | 16 anos | Grátis. 21/06. Terça, 16h às 18h.

Edições e Editoras – Perspectivas de Mercado: Encontro entre editores de publicações de dança. Com Adriana Banana (FID/BH), José Roberto Barreto Lins (Annablume/SP), Edições Sesc (SP). Provocação de Christine Greiner (SP). Mediação de Sigrid Nora. Foyer do Teatro | Livre | Grátis. 22/06. Quarta, 15h às 17h.

Comunicação em Rede – Publicação Digital: Encontro entre artistas e pesquisadores que coordenam publicações digitais de dança. Com Ivani Santana (Mapa D2/BA), Gustavo Bitencourt (Idança/RJ), Rodrigo Monteiro (7 x 7/SP); Rodrigo Andreolli (Modos de Existir/SP) e SescTV (SP). Mediação de Sigrid Nora. Foyer do Teatro | Livre | Grátis
23/06. Quinta, 16h às 18h.

Criações e Escrituras 2 – Operações Colaborativas em Dança: Encontro entre artistas e pesquisadores discutindo as relações entre a criação artística e a escrita sobre dança. Com Ana Vitória (RJ), Hélia Borges (RJ), Núcleo Tríade (SP), Coletivo Cartográfico (SP), Luciana Lara (DF). Provocação de Dani Lima (RJ). Mediação de Sigrid Nora. Foyer do Teatro | Livre | Grátis. 24/06. Sexta, das 16h às 18h.

Geografia de Fluxus  – De Olho na Produção Acadêmica: Pesquisadores de universidades discutem as publicações acadêmicas de dança. Com Lúcia Matos (SC), Rafael Guarato (GO) e Thereza Rocha (CE). Mediação de Sigrid Nora. Provocação de Sandra Meyer (SC).  Foyer do Teatro | 16 anos | Grátis. 25/06. Sábado, 14h às 16h.

Workshop

Intervenção Urbana e Sacolas na Cabeça – Com Anti Status Quo Cia de Dança (DF): A proposta é abrir ao público o conteúdo e os desdobramentos da pesquisa prática em dança que a cia vem realizando sobre a relação do Corpo – Cidade desde a criação de “Cidade em Plano”, objeto do livro “Arqueologia de Um Processo Criativo – Um Livro Coreográfico”. Os participantes da oficina participarão com a cia. da intervenção urbana Sacolas na Cabeça a ser realizada logo após o workshop. Sala Múltiplo uso | Livre | Grátis.22/06. Quarta, 10h às 13h.

Curso

A Escrita da Dança Como Plano de Experiência – Com Thereza Rocha: Oficina de produção textual acerca da dança e seus múltiplos planos de composição na cena contemporânea. O que é escrever sobre dança? Para que? Para quem? Quais os modos? A escrita em/de/sobre/através da dança. Thereza Rocha é pesquisadora de dança, diretora de espetáculos e dramaturgista de processos de criação. Doutora em Artes Cênicas pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Professora dos cursos de graduação em dança da Universidade Federal do Ceará, onde coordena o grupo de pesquisa QUINTAL: dança, pensamento, outras dramaturgias e regimes de dizibilidade. Coautora da quase-instalação “Máquina de Dançar”, com Maria Alice Poppe (RJ/SP, 2014 e 2016). Coautora do livro Diálogo/Dança , com Marcia Tiburi (SENAC, 2012) e autora do livro O Que é Dança Contemporânea? (Conexões Criativas, no prelo). Espaço de Tecnologias e Artes | Livre | Grátis. 23 a 24/06. Quinta e sexta, das 18h às 20h30
25/06. Sábado, das 16h às 18h30.

Exposição

Feira e Lançamento de Livros e Publicações de Dança: Editoras e autores expõem seus livros para venda além de lançarem novas publicações. Convivência | Livre | Grátis. 25/06. Sábado, 12h às 18h.

Vivência

Editora Modos de Existir: O público interessado poderá criar uma seleção, a partir do índice de textos publicados no site Modos de Existir, para montar versões customizadas de uma publicação impressa. Este site contém o material produzido nas edições anteriores e receberá novos textos das futuras edições. Convivência | Livre | Grátis. 24/06. Sexta, das 17h às 21h. 25/06. Sábado, das 13h às 18h.

Onde:
Sesc Santo Amaro
Quando:
21 a 25 de junho/2016
Quanto:
Diversos (ver programação)
Info:

Rua Amador Bueno, 505, Santo Amaro, São Paulo (SP), tel. (11) 5541-4000.

Horário de atendimento bilheteria: Terça a sexta-feira, das 10 às 21h30 e sábado, domingo e feriado, das 10 às 18h30. Obs: o estacionamento e a bilheteria permanecem abertos de acordo com o horário das programações. Estacionamento – Subsolo – 180 veículos, 34 vagas para motos (preço especial para shows iniciados a partir 18horas: R$5,50 p/ comerciários e R$11 p/ não comerciários e 35 vagas no bicicletário (grátis). Observação: as motos pagam taxa equivalente aos veículos.

www.sescsp.org.br/santoamaro

Os comentários estão desativados.