MASP realiza Semana de Dança online

O MASP – Museu de Arte de São Paulo realiza neste ano de pandemia uma versão online da Semana Paulista de Dança, que em 2021 chega à terceira edição, em correalização com o Studio3.

A edição deste ano, que começa em 25 de janeiro, também marca o aniversário de 467 anos de São Paulo.

As transmissões serão pelo canal do YouTube3 do MASP.

A programação de 2021 contará com apresentações do Balé da Cidade de São Paulo, Theater Lüneburg (Alemanha), Quasar Cia de Dança e Studio3 Cia de Dança. O Balé Folclórico da Bahia fará o encerramento. Todos os espetáculos foram gravados antes da pandemia e serão transmitidos pelo canal do museu no YouTube.

Uma novidade desta edição são os bate-papos que ocorrerão entre diretores e coordenadores artísticos e bailarinas dos grupos que irão se apresentar e o diretor de teatro José Possi Neto. Possi é encenador de espetáculos para os atores de teatro mais prestigiados do país. É ligado também ao teatro musical, com realizações bem-sucedidas nesse gênero.

Eles irão conversar, ao vivo no MASP Auditório, sobre as trajetórias das companhias, sobre os espetáculos que serão apresentados e fazer conexões com as Histórias da dança no MASP, eixo temático ao qual o museu se dedicou em 2020. O público poderá interagir mandando dúvidas pelo chat do YouTube.

Participam Raymundo Costa, Olaf Schmidt, Henrique Rodovalho, William Pereira, Vavá Botelho, Erika Ishimaru, Mara Mesquita e Nildinha Fonseca.

“A ideia é continuar aproximando a cidade da dança por meio de atrações gratuitas e, desta vez, a agenda inclui espetáculos históricos que marcaram a trajetória de cinco companhias: quatro brasileiras e uma internacional”, afirma Anselmo Zolla, curador da programação e que também foi responsável pela curadoria das duas primeiras temporadas.

 

Programação:

Foto: João Mussolin
'Frágil', de Itzik Galili, com Balé da Cidade de São Paulo.

Dia 25 de janeiro/2021, segunda-feira, às 19h

Balé da Cidade de São Paulo

Bate-papo: com o coordenador artístico Raymundo Costa e a bailarina Erika Ishimaru

Espetáculos: Frágil e Axioma 7

Frágil, criação que o coreógrafo israelense Itzik Galili montou para o Balé da Cidade em 2009, é uma ode ao bailarino, sublinhando a vulnerabilidade e medos inerentes à essa profissão. Um dueto íntimo no qual a mulher expõe a sua vulnerabilidade, e daí o seu vigor, na expectativa de convencer o homem a transpor os seus limites.

Axioma 7, do coreógrafo israelense Ohad Naharin, um dos criadores mais importantes da dança contemporânea, foi realizado para o Balé da Cidade em 2001. A palavra “axioma” vem do vocabulário matemático. Trata-se de um princípio evidente, não demonstrável, mas admitido por todos; é um conjunto de deduções e demonstrações. Segundo Naharin, tem a ver com a dança pois, no trabalho coreográfico, “há uma beleza matemática na construção dos movimentos e na lógica das suas ligações”.

Foto: Divulgação
Teatro de Luneburg

Dia 26 de janeiro/2021, terça-feira, às 19h 

Teatro Luneburg (Theater Lüneburg) – Alemanha 

Bate-papo: com o diretor artístico Olaf Schmidt 

Tradutor: Pedro Rinaldi

Espetáculo: Room

Compõem o espetáculo várias histórias de pessoas isoladas durante a pandemia. Existem encontros, mas sem toque. No entanto, mesmo com a distância, parece haver uma comunicação íntima entre os dançarinos.

Foto: Mila Petrilo
Quasar em 'Divíduo', de Henrique Rodovalho.

Dia 27 de janeiro/2021, quarta-feira, às 19h 

Quasar Cia de Dança

Bate-papo: com o diretor artístico Henrique Rodovalho

Espetáculo: Divíduo (1998) 

A solidão é o tema que serve de fio condutor para a dramaturgia. Apartamentos urbanos, de pessoas que se encerram em quatro paredes e que criam e recriam relações com imagens, objetos e sons. O espetáculo propõe um diálogo entre o que é real e o que é virtual e solicita a participação de agentes externos, como a programação de rádio, a televisão que sintoniza canais abertos e o contato telefônico com profissionais do sexo.

Foto: Divulgação
Depois, com Studio 3.

Dia 28 de janeiro/2021, quinta-feira, às 19h 

Studio3 Cia de Dança

Bate-papo: com o diretor cênico William Pereira e a bailarina Mara Mesquita

Espetáculo: Depois 

O roteiro gira em torno de uma companhia de dança e os acontecimentos, sentimentos e sensações provocados após o final do espetáculo: o processo de individualização dos bailarinos; o corpo coletivo que se dissolve em cenas íntimas, de memórias, reflexões e confrontos. Um espetáculo metalinguístico onde a dança reflete a própria dança e seus intérpretes. A apresentação terá a participação especial da atriz e coreógrafa Marilena Ansaldi.

Foto: Vinicius Lima
Balé Folclórico da Bahia

Dia 29 de janeiro/2021, sexta-feira, às 19h 

Balé Folclórico da Bahia

Bate-papo: com o diretor artístico Vavá Botelho e a bailarina e coreógrafa Nildinha Fonseca

Espetáculos: Bolero, 2-3-8 e Okan

Bolero

Fusão da música Bolero, de Maurice Ravel, aos ritmos africanos que dão o tom dos movimentos da companhia. Este espetáculo foi criado há dois anos para celebrar os 30 anos de atividade da companhia.

2-3-8

Slim Melo, ex-bailarino da companhia, propõe uma coreografia que remete à sua memória afetiva quando morador da Cidade Baixa, em Salvador. Ele deseja celebrar a vida, as cores, texturas e aromas de sua terra natal, evocando os movimentos de rua com sua espontaneidade, técnica e simplicidade.

Okan

Nildinha Fonseca, primeira bailarina do Balé Folclórico da Bahia, assina esta nova coreografia que traz elementos de matriz africana somados à feminilidade. O espetáculo engloba diversas linguagens artísticas como teatro, dança e música que juntas conduzirão o público a um passeio pelo universo feminino.

Foto: Divulgação
Studio 3 em Depois

 

Onde:
Canal do YouTube do MASP - Museu de Arte de São Paulo
Quando:
25 a 29 de janeiro/2021, segunda a sexta-feira às 19h
Quanto:
Grátis
Info:

As transmissões serão pelo canal do YouTube do MASP.

Link para assistir aos bate-papos e aos espetáculos: https://www.youtube.com/user/maspmuseu