Contágio 8×1 – Patrícia Bergantin

Desde 2017, o Centro da Terra, com o seu teatro subterrâneo instalado no bairro paulistano de Perdizes, abriu espaço para dezenas de artistas por meio de Ocupações em Artes Cênicas, cujo foco principal expunha a vocação da sala ao experimentalismo. Em 2019 o projeto está sendo ampliado e os convidados agora também realizam residências artísticas.

A programação de 2019 começa com a residência Contágio 8X1, da artista da dança Patrícia Bergantin, que contará com oficina e exposições, além da pré-estreia do solo Abominável, de Larissa Ballarotti; do espetáculo inédito Suave Elevação, fruto do encontro do bailarino Mauricio Flórez Raigoza e do músico Daniel Tauszig; ensaios abertos de processos em desenvolvimento, como Clamor, de Danilo Patzdorf e Refluxo, de Lucas Brandão e as performances Gênera, de Flora Kountouriotis e Carolina Bianchi e Jogo de Questões, de Patricia Araújo.

Convivência com a arte

As residências propostas pelo curador de artes cênicas Ruy Filho buscam reunir novos criadores, novas maneiras de olhar a produção contemporânea e estimular mais profunda e radicalmente os interesses discursivos e estéticos dos próprios artistas residentes, gerando um ambiente particular de estímulo e liberdade.

Os artistas residentes são representativos de diversas áreas: teatro, dança, artes visuais, música experimental, cinema e performance. Portanto, a programação 2019, que incluirá ainda cursos e laboratórios propostos por alguns dos residentes, propõe à cidade um espaço de convivência com a arte em suas múltiplas possibilidades de vivência e discussão.

“Na prática, os artistas residentes trabalharão suas pesquisas pelo período de um mês nas dependências do Centro da Terra, a fim de construírem investigações e estudos criativos que poderão resultar em espetáculos ou experiências estéticas abertas ao público. O novo projeto também estimula os artistas para que se aproximem de seus circuitos de criação, ampliando a presença de outros artistas”, explica Ruy Filho.

Ao longo de 2019 as fesidências contarão com os artistas Fabrício Licursi, Rubens Veloso, Ana Carolina Marinho, Cristiano Burlan, Ana Zepa, Mirella Brandi e Muep, além dos irmãos Pedro e Diogo Granato, entre outros.

Contágio 8X1

Foto: Divulgação
Patricia Bergantin

A artista da dança Patrícia Bergantin será residente no Centro da Terra de 31 de janeiro a 22 de fevereiro. Ao ser convidada pelo espaço cultural, Patrícia teve o impulso de expandir a oportunidade para além de sua pesquisa pessoal, convocando outros artistas da dança, performance, e artes visuais, com o objetivo de tecer um arranjo coletivo, onde todos se apoiam, se assistem e se suportam, com a premissa de que a força de um é o impulso do outro. Ciente do contexto político, no qual o fazer artístico em todos seus desdobramentos, desde apoio para pesquisa até financiamento para criação de espetáculos, está em rigorosa ameaça, a articulação com diversos artistas é uma tática para encorajar a pesquisa e criação. “A ideia é que os artistas convidados para a residência também se contaminem em suas criações, impulsionando e trocando uns com os outros”, afirma ela.

Contágio 8X1 conta com uma oficina, apresentações de oito artistas da dança e da performance, e ainda exposições de quatro artistas visuais. A abertura (dias 31 de janeiro e 1º de fevereiro) fica a cargo da oficina Encontro de Apreciadores, com o objetivo de mobilizar práticas em torno do que é ser espectador. A inscrição pode ser feita pelo público no email bergantinpatricia@gmail.com até 28/01 demonstrando o interesse.

Este modo de operar é também decorrência da articulação de Patrícia com Josefa Pereira, que a qual desenvolve a Tectônica Plataforma, base que se dedica à prática e ao estudo das forças, processos e movimentos em dança. Além de propiciar a pesquisa e investigação de ambas, também cartografa uma constelação afetiva entre artistas interessados e interessantes, dinamizando as camadas éticas, estéticas e políticas que compõem seu fazer artístico. Juntas também criaram Mandíbula, Égua e Contágio; os trabalhos solo Hidebehind e /m/; e colaboram em projetos de diversos artistas em comum como Monstra, de Elisabete Finger e Manuela Eichner.

Programação

Oficina Encontro de Apreciadores – com Patrícia Bergantin

31 de janeiro e 1º de fevereiro/2019. Quinta e sexta-feira, 20h às 22h.

A oficina convida o público interessado a “lavar os olhos” e mobilizar práticas em torno do que é ser espectador. Durante os encontros a artista trabalha o modo como nos relacionamos, assistimos, apreciamos. É possível despadronizar nosso olhar? Quais são os parâmetros de observação em torno de um objeto? A inscrição gratuita pode ser feita pelo público no email bergantinpatricia@gmail.com até 28/01.

Foto: Divulgação
Natália Mendonça

  Marcela Banguela – com Natália Mendonça

7 de fevereiro/2019; quinta-feira às 20h

15 de fevereiro/2019; sexta-feira às 20h.

Trabalho sobre a relação entre criador e criatura – uma criatura que veste fogo e bicho. Uma velha. Descabelada, assimétrica e perigosa. Na rua ela não anda, se monta pra guerra e vive um mundo que se cria e se decompõe a cada instante.

Duração: 30 minutos. Recomendado para maiores de 16 anos.

Criação e Interpretação: Natália Mendonça. Assistente de direção: Natalia Fernandes. Criação de luz: Clara Rubim. Criação de som: Montorfano.

Foto: Divulgação
APT.LAB_ep 01

  APT.LAB_ep 01 – com Talita Florêncio e Thiago Salas

7 de fevereiro/2019; quinta-feira às 20h.

15 de fevereiro/2019; sexta-feira às 20h.

APT.LAB é um campo de experiência proposto pelos artistas Talita Florêncio e Thiago Salas e se organiza enquanto uma rede de desejos que explora relações entre corpo e objeto em ambientes tecnologicamente mediados. Estes ambientes são contornos para conteúdos desenvolvidos a partir de técnicas sonoro-coreográficas, hiperpartituras, tecnologias eletrônicas e digitais, conformando possibilidades performáticas. Nesta residência serão realizados alguns experimentos com sobras de materiais já trabalhados e rastros que incitarão novos projetos.

Duração: 30 minutos. Livre.

Foto: Divulgação

  Jogo de Questões – com Patrícia Araújo e Valentina D’Avenia

8 de fevereiro/2019; sexta-feira às 20h.

A ação tem a forma de um diálogo composto por questões contínuas e improvisadas. Cada pergunta é respondida com outra pergunta e, quando postas em contexto sequencial, causam um efeito inquietante, ou absurdo. O jogo termina quando uma das interlocutoras, por acaso ou exaustão, responde a pergunta da anterior. Fazendo perguntas que instigam a fala da outra, as duas mulheres estabelecem uma relação de confiança diante do público. A ideia da performance é promover ruídos e pequenos déjà vus ao lançar perguntas que muitas vezes vão de encontro às questões de quem observa, reverberando infinitas respostas possíveis.

Duração: indeterminada. Livre.

Foto: Divulgação
Larissa Ballarotti

  Abominável – com Larissa Ballarotti

14 de fevereiro/2019; quinta-feira às 20h.

Evocação à obra e à vida daquelas que vieram, escreveram e se foram antes de nós. Reúne textos de Wislawa Szymborska, Katherine Mansfield, Sylvia Plath, Natalia Ginzburg, Ana Cristina Cesar e Audre Lorde. As palavras destas autoras reverberam no espaço: causam redemoinhos e nos põem a vibrar, a viver a guerra, a chamar alguém que amamos pelo seu primeiro nome, a encontrar uma terrível criatura. Abominável acontece no encontro ficcional destas diferentes narrativas com o corpo da performer, com o qual media a relação entre esses textos e propõe a sua narrativa, conectando memória de passado, presença do agora e ficção de futuro.

Duração: 40 minutos. Livre.

Criação e direção: Larissa Ballarotti. Estudo de voz: Inés Terra. Assistência de direção: Carolina Minozzi. Som: Larissa Ballarotti e Inés Terra. Iluminação: Laura Salerno. Fotografia: Mayra Azzi. Vídeo: Cris Lyra e Paula Ramos. Produção: Carolina Goulart. Colaboração: Raquel Lima, Carolina Bianchi, Korina Kordova, Inês Suchek, Mariana Costa e Bruna Lessa.

 

Suave Elevação – com Mauricio Flórez Raigoza e Daniel Tauszig

21 de fevereiro/2019, quinta-feira, às 20h.

Encontro inédito de música e dança que reúne os artistas Daniel Tauszig e Mauricio Flórez, os quais aproveitam a improvisação como jogo e encontro sensível  para dialogar juntos diante do desconhecido.

Duração: 35 minutos. Recomendado para maiores de 16 anos.

Iluminação: Diego Rocha.

Foto: Divulgação
Flora Kountouriotis

  Gênera – com Flora Kountouriotis e Carolina Bianchi

21 de fevereiro/2019; quinta-feira às 20h.

Uma pequena conferência sobre os gêneros gramaticais na língua portuguesa. Uma pequena conferência sobre os gêneros sexuais da língua portuguesa. Uma aula curta de onde meter a língua. Gênera é um monólogo breve que a partir do texto da dramaturga Keli Freitas propõe uma fala, um manifesto, uma conferência, uma conversa, um corpo que chega neste encontro para propor uma reflexão, crua e pelada sobre o binarismo do mundo.

Duração: 30 minutos. Recomendado para maiores de 16 anos.

Texto: Keli Freitas. Direção: Carolina Bianchi. Performance: Flora Kountouriotis. Criação: Flora Kountouriotis e Carolina Bianchi. Imagens: Mayra Azzi. Vídeo: Fernanda Vinhas.

Foto: Divulgação

  Clamor – com Danilo Patzdorf

22 de fevereiro/2019; sexta-feira às 20h.

Solo de dança que aciona forças ocultas para revelar a tensão que os corpos ocidentalizados enfrentam diariamente ao negar ou desconhecer os seres encantados que estão soterrados sob o território brasileiro. Por meio de movimentos agonísticos, músculos se contorcem violentamente até acessarem um estado de transe em que o delírio se sobrepõe à razão, clamando um destino mais extático do que austero, mais vigoroso do que depressivo, mais corajoso do que ansioso, mais sábio do que truculento, mais alegre do que assassino.

Duração: 40 minutos. Recomendado para maiores de 16 anos.

Refluxo – com Lucas Brandão

22 de fevereiro/2019; sexta-feira às 20h.

O que entra pela boca deseja sair pelo cu. Quando o que entra pela boca tem dificuldades nesse percurso e fica no meio do caminho na dúvida se segue o caminho que levariam os movimentos peristálticos é porque algo não está sendo muito bem digerido: parece haver um problema em alguma válvula.

Duração: 80 minutos. Recomendado para maiores de 16 anos.

Sobre o Centro da Terra

É um espaço cultural independente, sem fins lucrativos, mantido por Keren e Ricardo Karman. Inaugurado em 2001 e reformado em 2015, suas instalações integram um teatro com palco italiano, um ateliê, uma praça de convivência com um café, um terraço e salas multiuso. O teatro situa-se doze metros abaixo da superfície terrestre e foi aberto, após dez anos de obras e escavações no quarto e quinto subsolos de um edifício, no bairro de Perdizes, na capital paulista. Seu nome vem da sua localização subterrânea e é, também, uma homenagem ao espetáculo Viagem ao Centro da Terra realizado, em 1992, pela Kompanhia do Centro da Terra.

A programação é dirigida a todos os públicos, focada em produções, apresentações e ações de formação em música, artes cênicas e visuais que priorizem a linguagem contemporânea, e que dialoguem com a pesquisa da Kompanhia do Centro da Terra. A escolha da programação é feita por uma equipe de curadores que, a partir de suas pesquisas autorais, trazem para o Centro da Terra trabalhos experimentais de artistas emergentes e/ou consagrados, lançamentos, remontagens, temporadas pós estreia e projetos especiais. O local também abriga a escola de Arte Grão do Centro da Terra, que desenvolve um curso livre em que crianças e adolescentes participam de experiências nas diversas linguagens artísticas e que tem como fundamento a liberdade de criação, a ludicidade e a participação coletiva em percursos singulares.

Onde:
Centro da Terra
Quando:
31 de janeiro a 22 de fevereiro/2019
Quinta e sexta-feira às 20h
Quanto:
Espectador é quem decide
Info:
Rua Piracuama, 19, Perdizes, São Paulo (SP), tel. (11) 3675-1595. Capacidade: 100 lugares. Ingresso consciente (o público, consciente do trabalho envolvido para realização do espetáculo e do valor que ele dá para vivenciar esta experiência, escolhe quanto acha adequado pagar pelo seu ingresso, de acordo com sua condição financeira). À venda pelo site https://www.sympla.com.br/centrodaterra.