Balé da Cidade de São Paulo estreia “Isso dá um baile!”, de Henrique Rodovalho

O Balé da Cidade de São Paulo encerra sua temporada de 2021 com a estreia de Isso dá um baile!, coreografia de Henrique Rodovalho, com trilha sonora do coletivo Heavy Baile.

As apresentações, com elenco reduzido, serão em um palco especialmente montado na Praça das Artes, o complexo cultural anexo ao Theatro Municipal de São Paulo, que serve de extensão às atividades do teatro, onde é a sede da companhia.

O espetáculo já estava programado antes da chegada de Cassi Abranches, a recém-nomeada diretora artística do Balé da Cidade de São Paulo, que assumiu sua nova função com a companhia já em fase de ensaios da nova criação do coreógrafo convidado, Henrique Rodovalho, da Quasar Companhia de Dança, de Goiânia.

Foto: Stig de Lavor

Isso dá um baile! tem como referências os bailes funk das favelas cariocas. Mistura de estilo de dança e movimento cultural surgido no início dos anos 2000, a dança chamada “passinho” é o mote da coreografia de Rodovalho.

A coreografia se divide em duas partes, ambas com a mesma proposta e inspiração, e é apresentada sem intervalo. Com elencos diferentes e misturando diversas linguagens corporais presentes na cultura das ruas, como passos de funk, hip-hop, breakdance, capoeira, kuduro, popping, frevo e ritmos do recôncavo baiano, cada número é um convite ao público para acompanhar, dançando, da plateia, os integrantes do Balé da Cidade no ritmo da dança caracterizada por um movimento coordenado e – principalmente – rápido, dos pés e das pernas.

Foto: Stig de Lavor

Na coreografia de abertura, O Bonde, o elenco é formado por 13 bailarinos, que trazem suas histórias e desejos, estabelecendo um grande encontro de dança. Com resgate às sensações de liberdade e empoderamento nos movimentos, em uma brincadeira de vontades e desejos, a dança estimulada pelo passinho traz um tom leve e positivo, do início ao fim. A segunda parte, Solos, com dez bailarinos, trata essencialmente de expressões individuais. A obra se aprofunda em questões particulares e específicas de cada um dos bailarinos por meio da dança e aborda temas como identidade de gênero, preconceito e outras questões sociais. Cada coreografia tem 20 minutos e os bailarinos ficam livres para improvisar.

Foto: Stig de Lavor

Para o coreógrafo Henrique Rodovalho, que também assina o desenho de luz, Isso dá um Baile! se apropria, de forma respeitosa, de matrizes de movimentos e linguagens corporais do passinho. “É um baile de conquista, sem em nenhum momento interferir e se apropriar de forma negativa”, explica Rodovalho. “Eu digo para eles, eu não quero ver vocês fazendo uma coreografia, quero ver vocês dançando”, afirma. Para as preparações das coreografias de Isso dá um Bale!, o elenco do Balé da Cidade participou de um workshop de Celly e Neguebites, dançarinos que estão entre as maiores referências do passinho.

Ao som do funk carioca com batidas de Eletronic Dance Music (EDM) comandado pelo DJ e produtor musical Leo Justi, criador do movimento Heavy Baile, o espetáculo terá projeções que mesclam cores e texturas. Embalando os efeitos sonoros das ruas, como ruídos de trânsito e construção, o recurso visual conta com takes longos e curtos, que estimulam os sentidos do público.

Os figurinos foram elaborados por Cássio Brasil e têm por característica estética os elementos do streetwear, com tênis coloridos e acessórios singulares. As peças são de livre escolha dos bailarinos, refletindo a proposta do “passo livre”, presente nos solos das coreografias e ressaltando a individualidade de cada corpo.

Foto: Stig de Lavor

Para Andrea Caruso Saturnino, diretora geral do Theatro Municipal que influiu na escolha desta nova produção do Balé da Cidade (antes da chegada de Cassi Abranches), esse espetáculo reflete a proposta que visa incorporar novas linguagens artísticas à programação do teatro.

As apresentações presenciais na Praça das Artes, abertas ao público, serão sendo realizadas com capacidade reduzida de até 35% da plateia, para garantir a segurança e o distanciamento das pessoas.

Foto: Stig de Lavor

Ficha técnica – Coreografia e desenho de luz: Henrique Rodovalho. Trilha sonora: Heavy Baile & Theo Zagrae. Vídeo: Cauã Csik. Produção executiva de vídeo: MangoLab. Figurino: Cássio Brasil.

Elenco – O Bonde: Alyne Mach, Bruno Rodrigues, Fabiana Ikehara, Harrison Gavlar, Isabela Maylart, Leonardo Muniz, Luiz Crepaldi, Márcio Filho, Marina Giunti, Renata Bardazzi, Victoria Oggiam, Victor Hugo Vila Nova e Yasser Díaz. Solos: Ana Beatriz Nunes, Ariany Dâmaso, Bruno Gregório, Camila Ribeiro, Grécia Catarina, Jessica Fadul, Leonardo Silveira, Luiz Oliveira, Marcel Anselmé e Uátila Coutinho.

 

Onde:
Praça das Artes
Quando:
22 a 24, 29 a 31 de outubro e 4 a 6 de novembro/2021
Quinta e sexta-feira às 20h
Sábado e domingo às 18h
Quanto:
R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia)
Info:

Praça das Artes: Av. São João, 281, Centro, São Paulo. A entrada para o espetáculo será pela portaria da Rua Conselheiro Crispiniano, 378.

Bilheteria: em função da pandemia de Covid-19, a bilheteria do Theatro Municipal de São Paulo está fechada por tempo indeterminado. As vendas de ingressos ocorrem por meio do site do Theatro Municipal de São Paulo – https://theatromunicipal.org.br/pt-br/evento/bale-da-cidade-apresenta-isso-da-um-baile/.

Manual do espectador e informações sobre os protocolos sanitários do Complexo Theatro Municipal: veja os protocolos de segurança em  https://theatromunicipal.org.br/pt-br/manualdoespectador/

Classificação etária: livre.

Duração total: 40 minutos aproximadamente.