As relações entre o corpo e a casa inspiram as nove criações da mostra de videodança ‘Tempos Submersos: Entre Cômodos e Incômodos’, da Cia. Damas em Trânsito e os Bucaneiros, com elenco de diferentes gerações

A pandemia do novo coronavírus é reflexo e reflexão da mostra de videodança Tempos Submersos: Entre Cômodos e Incômodos, concebida pela Cia. Damas em Trânsito e os Bucaneiros, de São Paulo.

Coreografias inspiradas nas relações entre o corpo e a casa, durante o isolamento social, são a matéria-prima da mostra. Além dos cinco integrantes da Cia. Damas em Trânsito e os Bucaneiros, há um elenco formado por 69 artistas e não-artistas, de 4 a 80 anos.

As transmissões acontecem pelo canal do YouTube do Centro de Referência da Dança da Cidade de São Paulo (CRD-SP).

Os nove vídeos da programação reverberam os encontros entre gerações, de pessoas selecionadas em investigações entre seus corpos e suas casas.

A trilha sonora original é do compositor e instrumentista Ramiro Murillo. Com violão, viola caipira, rabeca, guitarra, baixo elétrico, programação eletrônica, teclado, sons ambientais e do corpo, visita diferentes estilos musicais, como valsa, pop e música regional.

Foto: Ciro Godoy
Ciro Godoy

Dos 4 aos 80 anos

As videodanças são resultado de cinco residências artísticas virtuais feitas sob o olhar da companhia.

Quatro delas foram divididas por faixas etárias: idosos e adultos (as duas com coordenação de Laila Padovan); adolescentes (supervisão do bailarino Ciro Godoy); e crianças (sob os cuidados da criadora-intérprete Clara Gouvêa). Com supervisão do bailarino Alex Ratton, a residência artística intergeracional originou o videodança Tempo Submerso, que dá título ao evento.

“A dança pôde mover a vida das pessoas na quarentena, manter viva a criação e o fazer artístico”, diz Ciro Godoy, coordenador da residência artística com os adolescentes, que rendeu o videodança Já!.

A captação das imagens foi feita ao longo de 2020. A cineasta e bailarina Mariana Sucupira assina a cocriação e a edição dos vídeos. A concepção e a dramaturgia foram feitas coletivamente pela Cia. Damas em Trânsito e os Bucaneiros. A partir das propostas de criação em perspectivas diversas de corpo, dança, casa, cidade, quarentena e temporalidade, nasceram criações em dança, individuais e coletivas.

“Ter uma criação que surge de universos distintos, com pessoas de diferentes idades, é interessante principalmente dentro da perspectiva de reavivar os espaços da casa e de usá-los como lugar de experimentação”, observa Laila Padovan, criadora-intérprete da Cia. Damas em Trânsito e os Bucaneiros. Ela coordenou as residências artísticas do projeto com idosos e adultos, que geraram respectivamente a videodança Inventam Caminhos e a série de cinco videodanças Poéticas da Casa.

Esta não é a primeira incursão da trupe na criação de um filme de dança: o primeiro realizado foi Sobre Ruas e Rios, em 2014.

Foto: Leonardo Crochik
Laila Padovan

Casa vira espaço cênico

Contemplado na 27ª edição do edital de Fomento à Dança para a Cidade de São Paulo, o projeto Cidade Temporal, que resultou na mostra de videodança, foi aprovado em 2019. A ideia era buscar o diálogo direto com habitantes da cidade de São Paulo, procurando ampliar a pesquisa e desenvolver criações em dança na cidade, com a participação de diferentes gerações.

Por causa da pandemia, as atividades, que seriam nas ruas da cidade, passaram a ser online. As casas dos integrantes da companhia e dos participantes inscritos no projeto se tornaram palco das criações. No início, a Cia. Damas em Trânsito e os Bucaneiros achou que a troca entre as pessoas poderia ser difícil devido ao formato online, mas o trabalho se mostrou potente mesmo com as adaptações, tornando-se um espaço de trocas criativas e afetivas entre os participantes.

Foto: Alex Ratton
Alex Ratton

Sobre Damas em Trânsito e os Bucaneiros

A companhia começou seus trabalhos em 2006, dentro do Estúdio Nova Dança, endereço da geração que começou a investigar, nos anos 1990, a improvisação como possibilidade de dramaturgia para a dança, na cidade de São Paulo. Damas em Trânsito e os Bucaneiros surgiu como um espaço de criação coletiva, que passou a desenvolver, continuamente, uma pesquisa sobre improvisação em dança e música. O pensamento corporal está apoiado, principalmente, nos fundamentos da dança do Contato Improvisação.

Formado por Alex Ratton, Ciro Godoy, Clara Gouvêa, Laila Padovan e Larissa Salgado, o grupo pesquisa como a arte cênica pode ocupar os espaços públicos da cidade, em busca de relações com estes espaços e seus habitantes.

A partir disso, discute as relações do indivíduo com os espaços que ele habita e com os coletivos dos quais faz parte. Assim, investiga maneiras de construir uma relação mais íntima com o público, procurando diminuir o distanciamento entre espectadores, artista e obra.

Foto: Pablo Salgado
Larissa Salgado

Ficha técnica

Concepção do projeto: Cia. Damas em Trânsito e os Bucaneiros. Núcleo artístico: Alex Ratton, Ciro Godoy, Clara Gouvêa, Laila Padovan e Larissa Salgado. Cordenação residência artística – Grupo adultos: Laila Padovan. Coordenação residência artística  –  Grupo adolescentes: Ciro Godoy. Cordenação residenia artística – Grupo maiores de 60 anos: Laila Padovan. Coordenação residência artística – Grupo crianças: Clara Gouvêa. Cordenação do grupo intergeracional: Alex Ratton. Provocação teórica: Laila Padovan. Oficinas e consciência corporal e inestigação do movimento: Daniel Calmon. Provocação cênica: Ana Terra. Designer gráfico: Fernando Sciarra. Assessoria de imprensa: Luciana Cassas. Direção dos videodanças – Videodanças Poéticas da Casa e Inventam Caminhos: Laila Padovan. Videodança Já!: Ciro Godoy. Videodança Mirabolantes: Clara Gouvêa. Videodança Tempo Submerso: Alex Ratton. Codireção e edição dos videodanças: Mariana Sucupira. Trilha sonora original: Ramiro Murillo. Produção e administração do projeto: Mariana Pessoa. Assistente de produção: Alexandre Medeiros. Série videodanças – Poéticas da CasaResidentes criadores: Ana Carolina Garbuio, Andrea Lomardo, Andrea Vasconcelos, Barbara Ivo, Barbara Serafim, Belister Paulino, Bruna Amano, Caio Zanuto, Carolina Camargos, Catharina Glória, Daniele Laje, David Nery, Eduardo Bordinhon, Elaine Cimino, Elinaide Alves, Isadora Lobo, Izabel Martinelli, Janaína Rosalen, Jonas Hory, Julia Lara Lima, Juliana Tarumoto, Laís Rosa, Leonardo Crochik, Luz Francisco de Barros, Mar Mendes, Maria Júlia Kaiser, Mariana Balsalobre, Mariana Facanali, Marianna Perna, Marília Persoli, Monica Yumi, Paulo Carpino, Renata Carvalho, Renato Teixeira, Victor Ferrari, Victor Isidro, William Raphael. Voz em off: Larissa Salgado. Texto: trechos Poéticas do Espaço: de Gaston Bachelard. Captação de voz: Pablo Salgado. Videodança – Já!Residentes criadores: Ana Beatriz Gomes da Silva. Anna Laura Padovan Crochik. Beatriz Caron Perilo. Joana Navarro. Kamyla Ribeiro. Nina Tardioli. Orin Boni Santana. Thales da Cunha Glória. Victoria Cintra. Videodança – Inventam caminhos – Residentes criadores: Ana Medeiros. Ana Stela Cruz. Cilô Lacava. Eliana Bolanho. Eunice Campanha. José Risk. Stela Alves.  Sumiko Arimori. Voz em off: Laila Padovan. Texto: trecho Memórias Inventadas, de Manuel de Barros. Videodança – Mirabolantes – Residentes criadores: Beatriz Fernandes Matos. Fernanda Nunes Barbosa da Silva. Helena Solano Aguiar. Iara Souto Godoy. Liz Forato. Luísa Labaki. Mirela Stinghel. Nina Siman Pessoa. Olga Landim. Pedro Padovan Crochik. Rafaella da Silva de Oliveira. Sofia Michelli Pederiva. Sophia Mendonça. Tito Souto Godoy. Violeta Salgado. Videodança – Tempo SubmersoResidentes criadores: Ana Beatriz Gomes da Silva. Ana Stela Cruz. Anna Laura Padovan Crochik. Caio Zanuto. Cilô Lacava. David Nery. Eliana Bolanho. Helena Solano Aguiar. Joana Navarro. José Risk. Júlia Lara. Kamyla Ribeiro. Laís Rosa. Leonardo Crochik. Luísa Labaki. Maria Júlia Kaiser. Marianna Perna. Mirela Stinghel. Monica Yumi. Nina Siman Pessoa. Olga Landim. Pedro Padovan Crochik. Sofia Michelli Pederiva. Sophia Mendonça. Stela Alves. Sumiko Arimori. Thales da Cunha Glória. Victor Ferrari. Violeta Salgado.

Onde:
Canal do YouTube do CRD – Centro de Referência da Dança - youtube.com/crdancasp
Quando:
30 de abril a 23 de maio/2021
Sexta a domingo, 19h
Quanto:
Grátis
Info:

A transmissão será pelo canal do youtube do CRD – Centro de Referência de Dança da Cidade de São Paulo (youtube.com/crdancasp).

Duração de cada transmissão: 40 minutos.

Em seguida acontece um bate-papo de meia hora, pelo Zoom, com os integrantes da companhia (o link será compartilhado pelo YouTube após as exibições).

PROGRAMAÇÃO DA MOSTRA DE VIDEODANÇA

Tempo Submerso: Entre Cômodos e Incômodos

Videodanças Poéticas da Casa (série de cinco vídeos criados na residência com adultos):

30 de abril, sexta;

1 de maio, sábado;

2 de maio, domingo;

sempre às 19h

Videodanças Mirabolantes, Já! e Inventam Caminhos (criadas respectivamente nas residências com crianças, adolescentes e 60+):

7 de maio, sexta;

8 de maio, sábado;

9 de maio, domingo;

sempre às 19h

Videodança Tempo Submerso (concebida na residência com pessoas de diferentes gerações):

14 a 16 de maio, sexta a domingo;

21 a 23 de maio, sexta a domingo;

sempre às 19h