Artistas, mulheres e capoeiristas de São Paulo realizam ato de repúdio ao feminicídio e em memória da bailarina Magô Borges em São Paulo, com programação de performances

Um ato com programação artística e apresentações de dança, para celebrar a vida, apesar do motivo trágico. No dia 8 de fevereiro, sábado, 15h, na Praça do Ciclista (próximo à esquina da Avenida Paulista com Rua da Consolação, em São Paulo), acontecerá o Ato De Repúdio ao Feminicídio – A vida pede passagem – #MagóPresente#NenhumaAMenos. Assim como em São Paulo, em outras cidades também estão ocorrendo manifestações semelhantes, em repúdio à violência de gênero e em memória de Magô Borges, jovem bailarina, professora de dança, capoeirista, que desde 2008 atuava em companhias paulistanas de dança contemporânea, como Cia. Carne Agonizante e Núcleo Improvisação em Contato. Um talento em potencial, Magô foi brutalmente assassinada depois de sofrer violência sexual no último dia 25 de janeiro, em uma mata próxima a uma cachoeira, no município de Mandaguari, no Paraná. Maria Glória Poltronieri Borges – a Magô, ou Magó, como era chamada pelos amigos – era natural de Maringá (PR).

Artistas, amigos e familiares estão mobilizados para que o crime não fique impune e para que a memória de Magô alcance uma dimensão maior, na luta contra o feminicídio. “O ato é organizado por mulheres, artistas e capoeiristas de São Paulo e região, de forma autônoma e espontânea, em repúdio à violência de gênero e em memória daquelas que morreram por serem mulheres”, comunica a organização.

Foto: Divulgação
Magô Borges

Da Praça do Ciclista, onde haverá a concentração às 15h, os participantes da manifestação devem seguir até o Theatro Municipal de São Paulo, onde acontecerá a seguinte programação:

. Roda de Capoeira.

. Coreografia O estuprador é você, criada pelo Coletivo LasTesis (Chile), baseada em textos da antropóloga Rita Segato.

. Alana, Luiza Barro e Luiza Alves: declamação do poema palestino As guardiãs de sementes, e de outros dois poemas.

. Lize Nascimento: trecho do texto Como silenciamos o estupro, de Karin Hueck.

. Kris Niklison fala sobre cineasta argentina representante das mulheres no setor de audiovisual.

. Roberta Estrela D’Alva, atriz, poeta e apresentadora, declamará o poema Sideral, uma homenagem de Lucas Fiorindo a Magô.

. Claudia Schapira interpretará poemas.

. Cléia Plácido: performance de dança em homenagem a Magô.

. Cia. Carne Agonizante apresenta o duo Eu em Ti, inspirado na poesia de Adalgisa Nery.

. Júlia Barnabé: teatro de marionetes Iroko.

. Julieta Zarza: performance de mágica e bolhas.

. Marília Persoli e Felipe Cirilo: criação livre sobre a música Deus me Proteja de Mim (Chico César), autoria de Magô, cantada por ela no Espetáculo Relation X do Núcleo Improvisação em Contato.

. Contato Improvisação: intervenção coletiva Abraço.

. 1 minuto de silêncio

. Samba de Roda

Foto: Junior Cecon
Magô Borges em apresentação com Cia Carne Agonizante, de São Paulo.

Maria Glória Poltronieri Borges era artista e produtora. Dividindo seu tempo entre São Paulo e Maringá, se dedicava à pesquisa em dança, improvisação e educação somática. Formada em balé clássico, em 2011 iniciou sua pesquisa e estudos em dança contemporânea, contato e improvisação e métodos de educação somática. Integrou a Cia. Carne Agonizante (SP) com direção de Sandro Borelli (2014 a 2016) e o Núcleo Improvisação em Contato/NIC (SP) com direção de Ricardo Neves (2014 a 2017). Estudou circo na Associazone ArterEGO (BO-ITA) em 2017. Por meio da Cia Duo Due, iniciou e desenvolveu os trabalhos Onomatopéias Silenciosas e a pesquisa e criação do espetáculo Fragile, junto a Ana Clara Poltronieri, sua parceira e irmã. Em 2019, em parceria com a DJ Chá di Lirian, realizou o espetáculo Noite Oceânica, Geral Sentiu. Produtora e articuladora cultural, idealizou diversos projetos em benefício da cidade de Maringá, como o ProjecT.aTo – A Dança como Ato, o Ciclo de Vivências em Danças Circulares Sagradas e a Formação Continuada em Dança. Era praticante de capoeira angola e percussionista desde 2012, na Associação Cultural Capuera Angola Paraguassu, liderada por Mestre Jaime de Mar Grande, além de integrante do Grupo Sambaiá de Samba Raiz, de Maringá, desde 2018. Quando começou a atuar em São Paulo, em 2008, ela integrou a companhia Pavilhão D. Maria Glória era defensora dos animais e da natureza, dos povos originários, do amor, da generosidade e da abundância. Era um ser altamente espiritualizado.

A vida pede passagem – #MagóPresente#nenhumaamenos é uma manifestação política e de conscientização, cuja essência é chamar atenção para os índices crescentes de feminicídio e violência contra a mulher. No outro extremo, é também uma celebração à vida – a grande missão de Maria Glória em seus 25 anos de vida. Por isso, procuramos congregar expressões culturais diversas que fizeram parte e inspiravam sua vida e trabalho, como a capoeira, a dança, a poesia, a arte circense, o samba de roda e o maracatu. Todas as formas de manifestação artística são bem-vindas, pois, apesar de ser sobre o assassinato de mulheres, é da vontade de seus familiares e amigos que este ato seja focado na celebração da vida – exatamente o que Maria Glória gostaria e faria se estivesse viva.

Magó, presente hoje e sempre!”

Foto: Divulgação
Onde:
Praça do Ciclista e Theatro Municipal de São Paulo
Quando:
8 de fevereiro/2020
15h
Quanto:
Grátis
Info:

Praça do Ciclista é o nome dado ao espaço de canteiro central da Avenida Paulista, na cidade de São Paulo, situado entre as ruas Bela Cintra e Consolação. Estações de metrô: Paulista (linha amarela) e Consolação (linha verde).

Theatro Municipal de São Paulo: Praça Ramos de Azevedo, s/nº, Centro, São Paulo (SP). Estações de metrô: República, Anhangabaú e São Bento.

Outras manifestações em 8 de fevereiro/2020, 15h:

. Belo Horizonte: Praça da Estação (Avenida dos Andradas, 201).

. Itaparica (BA): Roda na Associação Cultural de Capuera Angola Paraguassu (rua José Epifanio da Silva, 367, Gamboa).

Em 1º de fevereiro/2020 ocorreram atos similares em Campo Grande (MT), Florianópolis (SC), Curitiba (PR) e Maringá (PR).