Múltipla Dança, festival de Santa Catarina, movimenta 2021

Com poucas iniciativas grandiosas no universo da dança, distanciado por sua proposição do famoso e competitivo Festival de Dança de Joinville, um evento em Santa Catarina alcança projeção ao longo dos anos. O Múltipla Dança – Festival Internacional de Dança Contemporânea, criado em 2006 e com breves interrupções em sua continuidade, terá um diferencial neste ano de drama pandêmico. Chancelado por duas edições do Prêmio Elisabete Anderle de Apoio à Cultura – 2019 e 2020 – a equipe concentra em 2021 duas importantes atividades:  a primeira, nos próximos dias 9, 10 e 11 de março, o lançamento do e-book “Múltipla Dança Festival Internacional de Dança Contemporânea – 10 Anos em Encontros”, que servirá para anunciar a segunda ação, o 11º Múltipla Dança – Festival Internacional de Dança Contemporânea, entre 24 e 30 de maio.

Foto: Divulgação
Livro celebra os dez anos do Múltipla Dança e reúne artigos de 20 pesquisadores convidados

A singularidade que adensa o Múltipla Dança no eixo Sul do Brasil é uma clara aposta numa dança enraizada na pesquisa, em profunda conexão com a aventura do conhecimento em torno da dança contemporânea. Por sua importância, o festival está no calendário de Florianópolis e dos três Estados sulinos como um dos mais importantes pela oferta de oficinas, palestras, diálogos, mostra de videodança, conferências, ensaios abertos, exercícios de escrita crítica, performances e espetáculos.

O lançamento do almejado livro será de modo virtual em três noites, a partir das 20h, realizadas com reflexões que aproximam uma mediadora e seis convidadas em torno de temas distintos. Com o intuito de produzir pensamento, cada encontro terá duração de uma hora e meia. No primeiro dia, a pesquisadora e crítica de dança Ida Mara Freire e a jornalista Néri Pedroso discutem “Dança, Política e Educação”; no segundo dia, a abordagem “Teoria, Crítica e História da Dança” será defendida pelas pesquisadoras e professoras Sandra Meyer e Vera Torres e, por fim, “Dança – Centro e Periferia, Criação e Pesquisa, Inclusão e Gestão” reúne as professoras Lilian Vilela e Marta Cesar. A mediação fica por conta de Jussara Xavier, educadora e pesquisadora, que compartilha com Marta Cesar a organização do e-book, a curadoria e a direção do festival, cujos recursos estão garantidos pelo Edital Elisabete Anderle 2020.

Foto: Marília de Lima
Marta Cesar, curadora e diretora do Múltipla Dança e uma das autoras do livro

Pesquisadores do Brasil

A publicação “Múltipla Dança Festival Internacional de Dança Contemporânea – 10 Anos em Encontros” reúne textos de 20 autores que analisam a iniciativa criada em 2006 como seminário e que se desdobrou ao longo de dez edições. Os autores convidados são artistas, professores, críticos e pesquisadores – profissionais conectados à dança que participaram, pelo menos, de uma edição do festival. Os textos refletem sobre o próprio Múltipla e seu contexto, registram memórias, pensamentos e conhecimento no campo da crítica, comunicação, criação, história, pesquisa, inclusão, gestão e política da dança. Entre os autores, dez são de Santa Catarina (Ana Alonso, Ana Luiza Ciscato, Andréa Scansani, Cristiano Prim, Ida Mara Freire, Jussara Xavier, Marta Cesar, Néri Pedroso, Sandra Meyer e Vera Torres), dois de Minas Gerais (Thembi Rosa e Vanilton Lakka), dois do Paraná (Marila Velloso e Manoel Souza), um do Rio de Janeiro (Cláudia Müller), três de São Paulo (Inês Bogéa, Isabel Marques e Lilian Vilela), um do Rio Grande do Sul (Rui Moreira) e um do México (Olga Gutiérrez).

As organizadoras Jussara Xavier e Marta Cesar situam o livro nos espaços de troca, na sensibilização do público, no desejo de profissionalização de artistas e gestores e também no entusiasmo comemorativo de dez edições do Múltipla Dança. “Múltipla Dança Festival Internacional de Dança Contemporânea – 10 Anos em Encontros” assume significado pelo ponto de vista da memória e do arquivo, segundo Jussara e Marta, e atesta como o evento atua na construção do circuito de dança contemporânea em Santa Catarina, como estimula trajetórias, pesquisas e atua no índice de desenvolvimento humano. “A noção de arquivo está em sintonia com o desejo de inaugurar diálogos com diferentes temporalidades. O livro representa a possibilidade de arquivar pensamentos no desdobramento de itens distintos – história, criação, crítica, pesquisa, inclusão e gestão; que se conectam com noções e afinidades do presente a-histórico, ou seja, a publicação não aposta no cronológico, mas no anacrônico, um viés significativo do discurso contemporâneo,” escrevem Jussara e Marta.

Homenagem

O e-book faz uma homenagem à Neiva Ortega (1951-2018), produtora cultural que conduz o Múltipla Dança em sucessivas edições. A morte da atriz, cantora, produtora e gestora organizacional cria uma lacuna no setor em Santa Catarina. Com formação multidisciplinar, torna-se uma ativista da arte e da cultura. Como fundadora e gestora do Instituto Arte Movimenta, desenvolve ações, com destaque às atividades ligadas à cultura popular, bem como a grupos e eventos como a Companhia de Dança Lápis de Seda e o Múltipla Dança. Entre inúmeras atividades, participa três vezes como delegada de SC da Conferência Nacional de Cultura (CNC), ajuda a estruturar políticas públicas na esfera municipal, estadual e nacional. Trabalha em empresas privadas e instituições públicas, como a Fundação Catarinense de Cultura (FCC). Na Gerência de Música da FCC, atua na Gestão do Programa Nacional de Bandas da Funarte/Ministério da Cultura.

Breve história do Múltipla Dança

Criado em 2006 como seminário, mais tarde denominado como festival, Múltipla Dança ocorre anualmente durante uma semana do mês de maio, em diferentes espaços culturais de Florianópolis (SC). Trata-se de um programa de ações dedicado a promover a criação e difusão da dança e arte contemporânea, tecido na articulação de artistas profissionais, convidados e público. A programação prevê a oferta de espetáculos, oficinas, palestras, diálogos, mostra de videodança, conferências, ensaios abertos, exercícios de escrita crítica e intervenção urbana. De âmbito internacional, o encontro firma-se no calendário cultural da cidade, e detém, inclusive, o Prêmio Cultura 2008, concedido pela Prefeitura de Florianópolis e Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes para projetos de destaque na área cultural. A cuidadosa curadoria e a vinda de convidados do cenário nacional e internacional asseguram a projeção do evento, reconhecido no contexto da dança contemporânea profissional de Santa Catarina e brasileira, fato atestado em significativas matérias publicadas na imprensa.

As dez edições realizadas em 2006, 2007, 2008, 2009, 2010, 2014, 2015, 2016 e 2017. A descontinuidade (2010-14 e 2017-21) está essencialmente relacionada à falta de apoios e financiamentos. Além disto, um imprevisto fragiliza os planos de continuidade do evento: a precoce morte da administradora e produtora Neiva Ortega (1951-2018), também integrante da equipe de articuladoras do Múltipla Dança, composta por Jussara Xavier, Marta Cesar, Néri Pedroso e Paula Albuquerque.

A concepção e o programa são calcados na multiplicidade e foco no campo de interesse da dança e da arte contemporânea. Além da exibição de trabalhos artísticos, o festival se pauta em ações de complementaridade entre criação, difusão e reflexão. Oferta oficinas, palestras e diálogos temáticos com expressivos convidados, alcança um público variado, alunos e profissionais da dança local. Planeja atividades que facilitem e fomentem o acesso a diferentes canais de distribuição (teatros, espaços alternativos ou mesmo a rua), o acesso do público em termos físicos (variedade de localidade geográfica, gratuidade de ingresso), o acesso intelectual (encontros, conversas, intercâmbio, publicação de programa, lançamento de livros, entre outras). Ou seja, Múltipla Dança está focado na dança como experiência produtora de conhecimentos e acontecimentos.

ESTRUTURAÇÃO DO LIVRO

“Apresentação”, Jussara Xavier e Marta Cesar; “Curadoria de Dança como Abertura ao Diálogo”, Jussara Xavier; “Por uma Arte Acesa e Resistente”, Inês Bogéa; “Triunfo do Eterno Recomeço”, Néri Pedroso; “Múltiplas Danças | Múltiplas Críticas | Múltiplas Escritas”, Sandra Meyer; “Algumas Letras do Alfabeto do Múltipla Dança”, Ida Mara Freire; “Dançando como Artista Etc.”; Cláudia Müller; “Histórias de Vida em Dança”, Lilian Vilela; “O Corpo como Morada do Tempo”, Andréa C. Scansani; Múltiplas Imagens,  Cristiano Prim; “Parâmetros em Movimento. 2.0.1.6”, Thembi Rosa; “Bloco de Notas de Mono-Blocos Anotações de Um Corpo que Foi à Rua em Busca de Fricção com a Cidade”, Vanilton Lakka; “A Dança como Encontro”, Ana Maria Alonso Krischke; “Dançar, um Fio Condutor para a Inclusão”, Ana Luiza Ciscato; “Calendário de Encontros: Dança e Transformação”, Isabel Marques; “Gestão Pública em Cultura e Dança: Apontamentos Iniciais para uma Reflexão sobre Contradições entre Discurso e Prática”, Marila Velloso e Manoel J. de Souza Neto; “Vamos Falar sobre Danças Negras”, Rui Moreira; “Esto no Es um Texto, Es um Cuerpo, Isto não É um Texto, É um Corpo” (versão em português), Olga Gutiérrez; “Carta de Amor a Florianópolis”, Marta Cesar; Epílogo I: “Neiva Ortega”; Epílogo II: “Lírio da Paz, o Gesto da Delicadeza”, Néri Pedroso; Epílogo III: “Presente”, Paula Albuquerque

FICHA TÉCNICA DO LIVRO

Coordenação executiva e editorial: Jussara Xavier

Organização do livro: Jussara Xavier e Marta Cesar

Projeto gráfico e diagramação: Paula Albuquerque

Capa: Paula Albuquerque sobre ilustração de Fabio Dudas (espetáculo

“Céu na Boca”, Quasar Cia. de Dança (GO), fotografia de Cristiano Prim)

Revisão: Taciana Innocente

Assessoria de comunicação e imprensa: Néri Pedroso

Autores dos textos: Ana Maria Alonso Krischke, Ana Luiza Ciscato, Andréa

Scansani, Claudia Muller, Cristiano Prim, Ida Mara Freire, Inês Bogéa, Isabel

Marques, Jussara Xavier, Lilian Vilela, Manoel J. de Souza Neto, Marila Velloso, Marta Cesar, Néri Pedroso, Olga Gutiérrez, Paula Albuquerque, Rui Moreira, Sandra Meyer, Thembi Rosa, Vanilton Lakka

Fotografia: Cristiano Prim

Edição: Múltipla Dança

 

SERVIÇO

O quê: Lançamento do e-book “Múltipla Dança Festival Internacional de Dança Contemporânea – 10 Anos em Encontros”

Quando: Dia 9, 10 e 11.3.2021, 20h

Onde: https://www.facebook.com/festivalmultipladanca

Quanto: Gratuito

 

O quê: Encontro “Dança, Política e Educação” – Ida Mara Freire e Néri Pedroso

Quando: Dia 9.3.2021, 20h

Onde: https://www.facebook.com/festivalmultipladanca

Quanto: Gratuito

 

O quê: “Teoria, Crítica e História da Dança”Sandra Meyer e Vera Torres

Quando: Dia 10.3.2021, 20h

Onde: https://www.facebook.com/festivalmultipladanca

Quanto: Gratuito

 

O quê: “Dança – Centro e Periferia, Criação e Pesquisa, Inclusão e Gestão” – Lilian Vilela e Marta Cesar

Quando: Dia 11.3.2021, 20h

Onde: https://www.facebook.com/festivalmultipladanca

Quanto: Gratuito

 

Realização: Governo do Estado de Santa Catarina, por meio da Fundação Catarinense de Cultural (FCC), com recursos do Prêmio Elisabete Anderle de Apoio à Cultura ∕ Artes – Edição 2019

 

Saiba mais: multipladanca.art.br

facebook.com/festivalmultipladanca

@festivalmultipladanca

https://www.youtube.com/festivalmultipladanca