Dança paulistana se mobiliza hoje na Galeria Olido

Profissionais da dança de São Paulo devem se reunir hoje, às 17h, no saguão térreo da Galeria Olido (av. São João, 473, Centro). O encontro foi convocado pela Cooperativa Paulista de Dança e os movimentos A Dança se Move e Mobilização Dança, depois da polêmica causada pela nomeação da coreógrafa Deborah Colker, do Rio de Janeiro, para compor o Conselho da Cidade, organizado pelo prefeito Fernando Haddad, que tomou posse neste ano.

A falta de um representante da dança da cidade de São Paulo no Conselho organizado pelo novo prefeito gerou indignação entre os profissionais paulistanos. Tal ausência torna-se mais injustificável ainda porque a capital paulista sedia, hoje, um dos movimentos mais organizados do País entre os profissionais da área. Graças às reivindicações da classe, São Paulo conquistou a implementação de uma lei pioneira no Brasil: a de Fomento à Dança, que tem permitido aos artistas da dança a obtenção de recursos financeiros para suas produções.

O Fomento à Dança da cidade de São Paulo ainda não garante a produção continuada, pois os recursos são distribuídos a projetos selecionados a partir de inscrições, sempre que um novo edital é divulgado. No entanto, a lei do Fomento representou um passo importante para que os artistas independentes pudessem ganhar perspectivas e viabilizar suas criações.
Desde 2005, quando a lei do Fomento foi implantada, a produção de dança se multiplicou expressivamente na cidade, permitindo o desenvolvimento de linguagens e repertórios de artistas já reconhecidos, além do surgimento de novos criadores.
A repercussão nos jornais e nas redes sociais da ausência de representação da dança paulistana no Conselho da Cidade fez com que o prefeito Haddad cedesse aos manifestos da classe e concordasse com a inclusão de um nome de São Paulo. É este representante que será escolhido por votação, no encontro desta segunda-feira.
Além da escolha para um representante de São Paulo para o Conselho da Cidade, a pauta da reunião de hoje inclui a leitura de um manifesto e a apresentação oficial de uma proposta de uma lei de fomento federal para a dança brasileira.