Celui qui tombe (Aquele que cai), do coreógrafo francês Yoann Bourgeois, estreia em São Paulo, no Sesc Pinheiros

Como manter o equilíbrio quando o chão é roubado de nossos pés? Esta questão emana do espetáculo Celui qui tombe (Aquele que cai), do coreógrafo francês Yoann Bourgeois, que estreia em São Paulo no Teatro Paulo Autran do Sesc Pinheiros.

Foto: Garaldine Aresteanu

Em uma plataforma de madeira de seis por seis metros, suspensa e giratória, seis bailarinos se olham, estranhos entre si e ao ambiente. Eles devem realizar um jogo de equilíbrio e evitar a queda neste chão instável onde, ao invés de gerar o movimento, cada um deles reage a ele, trabalhando contra forças centrífugas e centrípetas. Em seus espetáculos, Yoann Bourgeois cria um jogo que busca experimentar novos princípios físicos.

Hipnótico e flertando com o risco e o perigo (segundo definição da crítica francesa Rosita Boisseau no jornal Le Monde), Celui qui tombe é uma criação de 2014, que estreou na abertura da Bienal de Dança de Lyon.

Entre o circo e a dança, a linguagem cênica de Bourgeois já foi chamada de “circo existencial”.

Foto: Garaldine Aresteanu

Em entrevista concedida a Agnès Izrine, da revista francesa Danser Canal Historique, ele explicou: “O que me interessa, de fato, é o circo, a relação de forças físicas e como os seres humanos são atravessados por essas forças. De uma certa maneira, eu me refiro sempre ao circo. Sua história é uma fonte de inspiração fundamental, uma ferramenta sobre a qual eu me apoio para pensar. Eu falo do circo tradicional, que possui fortes potencialidades cênicas e particularidades muito específicas. Tenho a impressão que o ‘novo circo’ está um pouco perdido na mistura com a dança, o teatro ou em associação com uma forma de esporte… Eu sempre pensei que dentro do circo há uma força infinita. Por isso, busco o que ele possui em si, retornando às origens, procurando depurá-lo, mais do que adicionar todo tipo de elemento a um tipo de aglomeração”.

Foto: Garaldine Aresteanu

O Circo de Yoann Bourgeois

“Aquela habilidade incomum… transformar o pior deserto em um campo de jogo”. (Michel Leiris)

“O circo que defendemos está no limite extremo dos jogos de vertigem e de máscara.

Nossa abordagem rompe com questões de presença através de certas noções de equilíbrio, limite ou risco.

Através de nossos jogos, buscamos esse limite fino onde a ficção (esse desapego da realidade) se torna possível e desvenda uma ‘dimensão’.

Livre de seus códigos convencionais é então um circo sem adornos que permanece, cuja propensão a novas formas teatrais é enorme.

O material de circo liga o corpo com forças físicas (gravidade, força centrífuga …) e contém um poder infinito de sugestão e imaginação quando alguém ‘os deixa falar’.

Nosso circo quer experimentar todos os espaços do jogo para revigorar essa mentira comum chamada de ‘representação’.”

Foto: Garaldine Aresteanu

 Yoann Bourgeois é acrobata, ator, malabarista e dançarino. Ele graduou-se no Centro Nacional de Artes do Circo de Châlons-em-Champagne, em alternância com o Centro Nacional de Dança Contemporânea de Angers. Depois de dançar durante quatro anos na companhia de Maguy Marin, deu início à sua própria prática criativa em 2010.

Yoann Bourgeois assina concepção, direção e encenação de Celui qui tombe (Aquele que cai), com assistência artística de criação de Marie Fonte.

O elenco de Celui qui tombe (Aquele que cai) reúne Julien Cramillet, Jean-Yves Phuong, Sarah Silverblatt-Buser, Marie Vaudin, Francesca Ziviani.

As apresentações no Brasil são resultados de parcerias entre o Sesc São Paulo, o Sesc de Minas Gerais e o Festival de Teatro de Curitiba.

Foto: Garaldine Aresteanu

Serviço:

Celui qui tombe (Aquele que cai)

Quando: 13 e 14 de abril/2019 – Sábado às 21h; domingo às 18h.

 Onde: Teatro Paulo Autran – Sesc Pinheiros

1.010 lugares. Rua Paes Leme, 195, Pinheiros, São Paulo (SP), tel. (11) 3095-9400. Estações de metrô: Faria Lima (500m) e Pinheiros (800m).

Duração: 60 minutos. Classificação etária: livre.

Ingressos: R$ 50,00 (inteira), R$ 25,00 (estudante, servidor de escola pública, + 60 anos, aposentados e pessoas com deficiência) e R$ 15,00 (credencial plena do Sesc – trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes).

Bilheteria: terça a sábado das 10h às 21h. Domingos e feriados das 10 às 18h. www.sescsp.org.br

Estacionamento com manobrista: terça a sexta, das 7h às 21h30; sábado, das 10h às 21h30; domingo e feriado, das 10h às 18h30. Taxas / veículos e motos: para atividades no Teatro Paulo Autran, preço único: R$ 12 (credencial plena do Sesc) e R$ 18 (não credenciados).