Bienal Sesc de Dança 2019 apresenta cerca de 50 ações cênicas e abre com espetáculo ‘Dancing Grandmothers’, de Eun-Me Ahn, da Coreia do Sul

A Bienal Sesc de Dança chega em 2019 à sua 11ª edição. De 12 a 22 de setembro, apresentará cerca de 50 ações cênicas, entre espetáculos, instalações e performances em 11 espaços de Campinas, cidade que acolhe desde 2015 o evento, antes realizado em Santos.

Uma equipe formada por Cristian Duarte, Fabricio Floro, Silvana Santos, Rita Aquino e Luciane Ramos realizou a curadoria desta edição. Mais de mil propostas inscritas foram avaliadas para se chegar a uma programação que reúne obras de 12 países – Alemanha, Argentina, Áustria, Colômbia, Coreia do Sul, Espanha, Estados Unidos, França, Portugal, Suíça e Uruguai – e oito estados brasileiros – São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Santa Catarina, Bahia, Piauí, Rio Grande do Norte e Distrito Federal.

Na abertura da Bienal será possível conhecer o trabalho, inédito no Brasil, de Eun-Me Ahn, uma das mais importantes coreógrafas da Coreia do Sul, através do espetáculo Dancing Grandmothers (Avós Dançantes). Reunindo jovens bailarinos com dez senhoras que antes nunca haviam se apresentado profissionalmente, esta criação mistura tradição e universo pop, refletindo histórias pessoais em diferentes corpos.

O encontro de diferenças promovido em Dancing Grandmothers traz a tônica de toda a programação. Conforme ressaltou Danilo Santos de Miranda, diretor regional do Sesc São Paulo, no lançamento da Bienal, dia 22 de agosto, no Sesc Campinas, é fundamental que a pluralidade de corpos esteja presente no evento.

Segundo Danilo, especialmente no atual momento do país é importante e necessário tratar de maneira mais corajosa e firme questões sobre gordofobia, deficiência física, racismo, jogando luz na invisibilização dos corpos marginalizados.

Danilo enfatizou que a dança, em particular, tem uma força muito grande para quebrar conceitos, valorizar pessoas. Por isso, a temática voltada para esse aspecto reflete um esforço ainda maior num momento em que a cultura, a arte, os artistas, o conhecimento em geral, “estão sendo objeto de visões inadequadas, obscurantistas, perigosas”.

“Certamente serão vencidas, não tenho dúvida disso”, afirmou Danilo. “O que vai prevalecer será sempre o caráter mais aberto, mais humanitário, mas no momento transitório, neste momento meio obscuro que nós atravessamos, parece que isso vai ganhar força. Não irá porque a cultura, a valorização do conhecimento, vão prevalecer, é inevitável”.

“Tenho um certo otimismo com relação a isso, ainda que esse processo seja difícil e que algumas feridas sejam deixadas pelo caminho. De alguma forma eu acredito que vai prevalecer sempre, tem que prevalecer esse caráter civilizador, humanitário, não apenas da arte, mas do conhecimento, da valorização do ser humano naquilo que é mais profundo e verdadeiro”, ressaltou o diretor, sob aplausos do auditório lotado do Sesc Campinas.

Para corroborar sua percepção, Danilo citou os mais de 1.000 trabalhos inscritos na Bienal deste ano. “Essa quantidade demonstra que esse movimento que parece subterrâneo, escondido, está presente com uma força extraordinária. Então, não há força obscurantista que possa prevalecer por cima disso”.

Durante a apresentação, Danilo também destacou a importância do fomento à dança que, mais do que outras expressões artísticas, tem maiores dificuldades de difusão e incentivo. “Portanto, é muito importante valorizarmos esses aspectos em uma instituição como o Sesc”.

Além de Danilo Santos de Miranda, a apresentação que lançou a Bienal Sesc de Dança de 2019 teve participações de Ney Carrasco, secretário de cultura de Campinas, e de Fernando Hashimoto, pró-reitor de Extensão e Cultura da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), entidades parceiras do evento.

Estreias nacionais e internacionais

Foto: Caroline Morel Fontaine
Dançando com a Diferença / La Ribot: Happy Island

Além do espetáculo da Coreia do Sul, estreiam no Brasil obras como Happy Island, uma coprodução entre a companhia portuguesa Dançando com a Diferença e a coreógrafa espanhola La Ribot; Everybody Electric, da coreógrafa austríaca Doris Uhlich; Daimón, do artista colombiano Luis Garay com performance da atleta argentina Maia Chigioni; e Acto 3 / Avasallar / Trilogía Antropofágica, da uruguaia Tamara Cubas.

Foto: Divulgação
Paz Rojo: Eclipse: Mundo

As estreias internacionais incluem também Eclipse: Mundo, da artista espanhola Paz Rojo e Monumentos em Ação, da argentina Lucía Nacht, que fará uma residência selecionando intérpretes locais para integrarem as apresentações.

Foto: Gregory Batardon
Cia. Alias em Normal

A companhia suíça Alias, dirigida pelo coreógrafo brasileiro Guilherme Botelho, volta ao Brasil depois de sua última apresentação no país em 2011, no Panorama Sesi de Dança. No encerramento da Bienal, o grupo de Botelho, um dos mais importantes da Suíça, apresentará o espetáculo Normal.

Duas obras do coreógrafo norte-americano William Forsythe que integram a exposição interativa Objetos Coreográficos, que se realizou no Sesc Pompeia no primeiro semestre de 2019, estarão na Bienal. São elas Debut, São Paulo (2019), instalação recriada na forma de um tapete de entrada com uma instrução, e Alignigung nº 2 (2017), vídeo instalação inédito no Brasil, que mostra uma coreografia dançada pelos bailarinos Riley Watts e Rauf “RubberLegz” Yasit.

Entre as criações brasileiras, há a estreia de Eu Sou uma Fruta Gogoia em Tendência Não Binária, uma remontagem da obra Eu Sou uma Fruta Gogoia em Três Tendências, de Thelma Bonavita, que vive entre São Paulo e Berlim.

Foto: Mauricio Pokemon
A Invenção da Maldade, de Marcelo Evelin

A Invenção da Maldade, do coreógrafo piauiense Marcelo Evelin, e Strip Tempo, do artista baiano Jorge Alencar, são criações inéditas em palcos de São Paulo.

Memória e liberdade

Além da invisibilização de corpos marginalizados, temas urgentes e atuais, como a violência urbana e o diálogo com outras linguagens artísticas, compõem a temática da Bienal Sesc de Dança de 2019.

As criações também propõem novas possibilidades de ocupar os espaços públicos e de enxergar o mundo e o outro por meio de experiências que rompem com a lógica embrutecedora vigente em grandes centros urbanos, convidando para outras formas de sentir, pensar e agir. A passagem do tempo, a memória, o futuro e a liberdade também têm espaço nas obras.

O espetáculo Bando: Dança que Ninguém quer Ver, da Cia. Giradança, expõe situações que o grupo vive ou vivenciou em seus mais de dez anos de existência. Entre elas está a invisibilidade dos corpos de seus bailarinos tidos como diferentes daqueles geralmente vistos em obras de arte. Outro exemplo é A Boba, de Wagner Schwartz, que parte do quadro A Boba, de Anita Malfatti (1889-1964), para criar sua performance homônima. Em cena, Schwartz retira o quadro da parede. O peso da tela passa a influenciar no peso do corpo do artista e vice-versa.

Foto: João Caldas
O Banho, de Marta Soares

A performance Trabalho Normal, de Claudia Müller e a instalação O Banho, de Marta Soares, lidam com a memória. Marta traz à cena a obra premiada pela Associação Paulista de Críticos de Artes (APCA) em 2004 que ela revisita após 15 anos de criação. Claudia partiu de projetos de artistas (Francis Alÿs, Marta Soares, Los Torreznos, Brígida Baltar e Tehching Hsieh), que discutem em algumas obras o paradoxo da inutilidade da arte, para criar sua performance.

Foto: Sebastian Gabsch PNN
Trrr, de Thiago Granato

Os solos Z, de Alejandro Ahmed,  Trrr, de Thiago Granato, e Procedimento 2 para Lugar Nenhum, de Vera Sala, também marcam a programação.

Além dos espetáculos, há atividades reflexivas como ações formativas e pontos de encontros. A ideia é que público e artistas de diversas nacionalidades compartilhem experiências, pensamentos e vivências que possibilitem a expansão de questões estéticas e políticas pertinentes ao atual cenário da dança contemporânea. A programação contempla atrações para todas as idades, incluindo o público infantil.

 

Programação

Espetáculos adultos (por ordem de apresentação)

 

DANCING GRANDMOTHERS | Eun-Me Ahn (Coreia do Sul)

Dia 12, quinta-feira, às 20h | Dia 13, sexta-feira, às 21h30 | Galpão do Sesc Campinas | Duração: 90 minutos | Classificação etária: Livre | Ingressos: R$ 40,00; R$ 20,00 (estudante com carteirinha e aposentado) e R$ 12,00 (credencial plena).

 

CANTO DOS MALDITOS | Marcos Abranches (São Paulo)

Dia 13, sexta-feira, às 20h | Dia 14, sábado, às 20h | Teatro do Sesc Campinas | Duração: 45 minutos | Classificação etária: 14 anos | Ingressos: R$ 30,00; R$ 15,00 (estudante com carteirinha e aposentado) e R$ 9,00 (credencial plena).

 

FIM | Grupo Vão (São Paulo)

Dia 13, sexta-feira, às 20h30 | Dia 14, sábado, às 20h30 | Ginásio do Sesc Campinas | Duração: 50 minutos | Classificação etária: 16 anos | Ingressos: R$ 30,00; R$ 15,00 (estudante com carteirinha e aposentado) e R$ 9,00 (credencial plena).

 

HAPPY ISLAND | La Ribot e Dançando com a Diferença (Suíça e Portugal)

Dia 14, sábado, às 20h30 | Dia 15, domingo, às 18h | Teatro Castro Mendes | Duração: 70 minutos | Classificação etária: 12 anos | Ingressos: R$ 40,00; R$ 20,00 (estudante com carteirinha e aposentado) e R$ 12,00 (credencial plena).

 

STRIP TEMPO – STRIPTEASES CONTEMPORÂNEOS – VOLUMES 1 E 2 | Jorge Alencar (Bahia)

Dia 14, sábado, às 21h30 (Volume 1) | Dia 15, domingo, às 20h30 (Volume 2) | Galpão do Sesc Campinas | Duração: 75 minutos | Classificação etária: 18 anos | Ingressos: R$ 30,00; R$ 15,00 (estudante com carteirinha e aposentado) e R$ 9,00 (credencial plena).

 

TRRR | Thiago Granato (Alemanha e Brasil) 

Dia 17, terça-feira, às 18h e 21h30 | Ginásio do Sesc Campinas | Duração: 55 minutos | Classificação etária: 18 anos | Ingressos: R$ 30,00; R$ 15,00 (estudante com carteirinha e aposentado) e R$ 9,00 (credencial plena).

 

| Denise Stutz (Rio de Janeiro)

Dia 17, terça-feira, às 20h | Dia 18, quarta-feira, às 20h | Teatro do Sesc Campinas | Duração: 50 minutos | Classificação etária: 14 anos | Ingressos: R$ 30,00; R$ 15,00 (estudante com carteirinha e aposentado) e R$ 9,00 (credencial plena).

 

DAIMÓN | Luís Garay (Colômbia e Argentina)

Dia 17, terça-feira, às 20h | Dia 18, quarta-feira, às 20h | CIS Guanabara – Armazém Sala Preta | Duração: 65 minutos | Classificação etária: 14 anos | Ingressos: R$ 30,00; R$ 15,00 (estudante com carteirinha e aposentado) e R$ 9,00 (credencial plena).

 

DE CARNE E CONCRETO – UMA INSTALAÇÃO COREOGRÁFICA | Anti Status Quo Companhia de Dança (Distrito Federal)

Dia 18, quarta-feira, às 17h | Dia 19, quinta-feira, às 17h | Casa do Lago (Unicamp) | Duração: 140 minutos | Classificação etária: 18 anos | Ingressos: Grátis – Retirada de ingressos limitados no local em cada dia a partir das 15h.

 

Z | Alejandro Ahmed (Santa Catarina)

Dia 18, quarta-feira, às 18h30 | Dia 19, quinta-feira, às 18h30 | CIS Guanabara – Armazém Sala Branca | Duração: 60 minutos | Classificação etária: Livre | Ingressos: R$ 30,00; R$ 15,00 (estudante com carteirinha e aposentado) e R$ 9,00 (credencial plena).

 

ACTO3 / AVASALLAR / TRILOGÍA ANTROPOFÁGICA | Tamara Cubas (Uruguai)

Dia 18, quarta-feira, às 20h30 | Dia 19, quinta-feira, às 20h30 | Teatro Castro Mendes | Duração: 90 minutos | Classificação etária: 18 anos | Ingressos: R$ 40,00; R$ 20,00 (estudante com carteirinha e aposentado) e R$ 12,00 (credencial plena).

 

EVERY BODY ELETRIC | Doris Uhlich (Áustria)

Dia 18, quarta-feira, às 21h30 | Dia 19, quinta-feira, às 21h30 | Galpão do Sesc Campinas | Duração: 50 minutos | Classificação etária: 16 anos | Ingressos: R$ 40,00; R$ 20,00 (estudante com carteirinha e aposentado) e R$ 12,00 (credencial plena).

 

SISMOS E VOLTS | Leandro de Souza (São Paulo)

Dia 19, quinta-feira, às 19h | Dia 20, sexta-feira, às 19h | Sala de Múltiplo Uso 2 do Sesc Campinas | Duração: 30 minutos | Classificação etária: 16 anos | Ingressos: R$ 30,00; R$ 15,00 (estudante com carteirinha e aposentado) e R$ 9,00 (credencial plena).

 

A INVENÇÃO DA MALDADE | Marcelo Evelin / Demolition Incorporada (Piauí)

Dia 19, quinta-feira, às 20h30 | Dia 20, sexta-feira, às 20h30 | Ginásio do Sesc Campinas | Duração: 70 minutos | Classificação etária: 18 anos | Ingressos: R$ 40,00; R$ 20,00 (estudante com carteirinha e aposentado) e R$ 12,00 (credencial plena).

 

DEIXA ARDER | Marcela Levi e Lucía Russo (Argentina e Brasil)

Dia 20, sexta-feira, às 20h | Dia 21, sábado, às 20h | CIS Guanabara – Armazém Sala Preta | Duração: 40 minutos | Classificação etária: 14 anos | Ingressos: R$ 30,00; R$ 15,00 (estudante com carteirinha e aposentado) e R$ 9,00 (credencial plena).

 

BANDO: DANÇA QUE NINGUÉM QUER VER | Giradança (Rio Grande do Norte)

Dia 20, sexta-feira, às 21h30 | Dia 21, sábado, às 21h30 | Espaço Arena do Sesc Campinas | Duração: 60 minutos | Classificação etária: 14 anos | Ingressos: R$ 30,00; R$ 15,00 (estudante com carteirinha e aposentado) e R$ 9,00 (credencial plena).

 

EU SOU UMA FRUTA GOGOIA, EM TENDÊNCIA NÃO BINÁRIA | Thelma Bonavita (Brasil e Alemanha)

Dia 21, sábado, às 18h30 | Dia 22, domingo, às 18h30 | CIS Guanabara – Armazém Sala Branca | Duração: 50 minutos | Classificação etária: 12 anos | Ingressos: R$ 40,00; R$ 20,00 (estudante com carteirinha e aposentado) e R$ 12,00 (credencial plena).

 

PESO BRUTO | Jussara Belchior (Santa Catarina)

Dia 21, sábado, às 19h | Dia 22, domingo, às 19h | Sala de Múltiplo Uso 2 do Sesc Campinas | Duração: 35 minutos | Classificação etária: 16 anos | Ingressos: R$ 30,00; R$ 15,00 (estudante com carteirinha e aposentado) e R$ 9,00 (credencial plena).

 

A BOBA | Wagner Schwartz (Brasil e França)

Dia 21, sábado, às 20h | Dia 22, domingo, às 19h | Teatro do Sesc Campinas | Duração: 50 minutos | Classificação etária: 12 anos | Ingressos: R$ 30,00; R$ 15,00 (estudante com carteirinha e aposentado) e R$ 9,00 (credencial plena).

 

ÉGUA | Josefa Pereira e Patrícia Bergantin (São Paulo)

Dia 21, sábado, às 20h30 | Dia 22, domingo, às 19h30 | Ginásio do Sesc Campinas | Duração: 50 minutos | Classificação etária: 18 anos | Ingressos: R$ 30,00; R$ 15,00 (estudante com carteirinha e aposentado) e R$ 9,00 (credencial plena).

 

NORMAL | Guilherme Botelho / Cia. Alias (Suíça)

Dia 21, sábado, às 20h30 | Dia 22, domingo, às 18h | Teatro Castro Mendes | Duração: 60 minutos | Classificação etária: Livre | Ingressos: R$ 40,00; R$ 20,00 (estudante com carteirinha e aposentado) e R$ 12,00 (credencial plena).

 

ECLIPSE: MUNDO | Paz Rojo (Espanha)

Dia 21, sábado, às 21h30 | Dia 22, domingo, às 20h30 | Galpão do Sesc Campinas | Duração: 65 minutos | Classificação etária: 12 anos | Ingressos: R$ 40,00; R$ 20,00 (estudante com carteirinha e aposentado) e R$ 12,00 (credencial plena).

 

ESPETÁCULO INFANTIL

 

SUPERNADA EP01 | Clarice Lima (Ceará)

Dia 14, sábado, às 11h | Dia 15, domingo, às 11h | Praça Carlos Gomes | Duração: 30 minutos | Classificação etária: Livre | Ingressos: Grátis.

 

PERFORMANCES

 

RIR – INTERVENÇÃO SEGUNDO MOVIMENTO | Key Zetta e Cia. (São Paulo)

Dia 13, sexta, às 11h | Dia 14, sábado, às 11h | Largo do Rosário | Duração: 45 minutos | Classificação etária: Livre | Ingressos: Grátis.

 

PROCEDIMENTO 2 PARA LUGAR NENHUM | Vera Sala (São Paulo)

Dia 13, sexta-feira, às 20h | Dia 14, sábado, às 20h | CIS Guanabara – Armazém Sala Preta | Duração: 50 minutos | Classificação etária: 12 anos | Ingressos: R$ 40,00; R$ 20,00 (estudante com carteirinha e aposentado) e R$ 12,00 (credencial plena).

 

TUDO QUE PASSA E FICA | OEFEHÁ (São Paulo)

Dia 14, sábado, às 11h | Dia 15, domingo, às 11h | Centro de Convivência | Duração: 180 minutos (sábado) e 120 minutos (domingo) | Classificação etária: Livre | Ingressos: Grátis.

 

BOAS GAROTAS | Clarissa Sacchelli (São Paulo)

Dia 14, sábado, às 19h | Dia 15, domingo, às 19h | Sala de Múltiplo Uso 2 do Sesc Campinas | Duração: 70 minutos | Classificação etária: 14 anos | Ingressos: R$ 30,00; R$ 15,00 (estudante com carteirinha e aposentado) e R$ 9,00 (credencial plena).

 

VIDA ENORME | Emmanuelle Huynh/ Plateforme Múa (França)

Dia 15, sábado, às 17h | CIS Guanabara – Gare | Duração: 60 minutos | Classificação etária: 14 anos | Ingressos: R$ 30,00; R$ 15,00 (estudante com carteirinha e aposentado) e R$ 9,00 (credencial plena).

 

TRABALHO NORMAL | Claudia Müller (Rio de Janeiro)

De 15 a 19, domingo a quinta-feira, das 10h às 19h | Área de Convivência do Sesc Campinas | Duração: 8 horas por dia | Classificação etária: Livre | Ingressos: Grátis.

 

DENTRO | Coletivo Qualquer (Brasil e Espanha)

Dia 16, segunda-feira, às 11h e 16h | Dia 17, terça-feira, às 11h e 16h | Dia 18, quarta-feira, às 11h e 16h | Estação Cultura | Duração: 60 minutos | Classificação etária: 12 anos | Ingressos: Grátis – Retirada de ingressos limitados no local com duas horas de antecedência.

 

ARRASTÃO | Cia. Etra de Dança (São Paulo)

Dia 17, terça-feira, às 16h | Dia 18, quarta-feira, às 16h | Largo do Rosário | Duração: 50 minutos | Classificação etária: 14 anos | Ingressos: Grátis.

 

SUMO | Júlia Rocha (São Paulo)

Dia 17, terça-feira, às 19h | Dia 18, quarta-feira, às 19h | Sala de Múltiplo Uso 2 do Sesc Campinas | Duração: 40 minutos | Classificação etária: Livre | Ingressos: R$ 30,00; R$ 15,00 (estudante com carteirinha e aposentado) e R$ 9,00 (credencial plena).

 

ESCUTA! | Companhia Híbrida (Rio de Janeiro)

Dia 18, quarta-feira, às 14h | Dia 19, quinta-feira, às 14h | Terminal Rodoviário | Duração: 30 minutos | Classificação etária: Livre | Ingressos: Grátis.

 

MONUMENTOS EM AÇÃO | Lucía Nacht (Argentina)

Dia 19, quinta-feira, às 11h | Dia 20, sexta-feira, às 11h | Praça Rui Barbosa | Duração: 60 minutos | Classificação etária: 14 anos | Ingressos: R$ 30,00; R$ 15,00 (estudante com carteirinha e aposentado) e R$ 9,00 (credencial plena).

 

BOLA DE FOGO | Fábio Osório Monteiro (Bahia)

Dia 19, quinta-feira, às 17h | Dia 20, sexta-feira, às 17h | Estação Cultura | Duração: 45 minutos | Classificação etária: Livre | Ingressos: Grátis.

 

CANCIONEIRO TERMINAL | Grupo MEXA (São Paulo)

Dia 19, quinta-feira, às 19h30 | Dia 20, sexta-feira, às 19h30 | Museu da Cidade | Duração: 60 minutos | Classificação etária: 16 anos | Ingressos: Grátis – Retirada de ingressos limitados no local em cada dia a partir das 17h30.

 

VIOLENTO. | Preto Amparo, Alexandre de Sena, Grazi Medrado e Pablo Bernardo (Minas Gerais)

Dia 19, quinta-feira, às 20h | Dia 20, sexta-feira, às 20h | Teatro do Sesc Campinas | Duração: 50 minutos | Classificação etária: 16 anos | Ingressos: R$ 30,00; R$ 15,00 (estudante com carteirinha e aposentado) e R$ 9,00 (credencial plena).

 

QUEM SEGUE AS SETAS | Núcleo Tríade (São Paulo)

Dia 21, sábado, das 9h30 às 18h | Dia 22, domingo, das 9h30 às 18h | Área de Convivência do Sesc Campinas | Classificação etária: Livre | Ingressos: Grátis.

 

ACORDO | Alice Ripoll / Cia. REC (Rio de Janeiro)

Dia 21, sábado, às 14h | Dia 22, domingo, às 14h | Estação Cultura | Duração: 30 minutos | Classificação etária: 14 anos | Ingressos: Grátis – Retirada de ingressos limitados no local em cada dia a partir das 12h.

 

INSTALAÇÕES

ALIGNIGUNG Nº 2 e DEBUT, SÃO PAULO | William Forsythe (Estados Unidos e Alemanha)

De 12 a 22, de terça a sexta-feira, das 9h às 20h e sábado e domingo, das 9h30 às 18h | Galpão do Sesc Campinas | Classificação etária: Livre | Ingressos: Grátis.

 

AUTOPOIESE | Ricardo Alvarenga (Minas Gerais)

Dia 13, sexta-feira, às 20h | Dia 14, sábado, às 20h | Casa de Vidro | Duração: 180 minutos | Classificação etária: 16 anos | Ingressos: Grátis – Retirada de ingressos limitados no local em cada dia a partir das 18h.

 

O BANHO | Marta Soares (São Paulo)

Dia 14, sábado, às 18h30| Dia 15, domingo, às 18h30 | CIS Guanabara – Armazém Sala Branca | Duração: 50 minutos | Classificação etária: 18 anos | Ingressos: R$ 30,00; R$ 15,00 (estudante com carteirinha e aposentado) e R$ 9,00 (credencial plena).

 

O PEIXE | Érica Tessarolo (São Paulo)

Dia 17, terça-feira, às 17h | Dia 18, quarta-feira, às 17h | Casa de Vidro | Duração: 120 minutos | Classificação etária: Livre | Ingressos: Grátis – Retirada de ingressos limitados no local em cada dia a partir das 15h.