Ballet Paraisópolis comemora 10 anos

2022 está sendo um ano histórico para o Ballet Paraisópolis. Há uma década esta organização se dedica a elevar a qualidade de vida de famílias desta comunidade de mais de 40 mil habitantes – a segunda maior de São Paulo, depois de Heliópolis.

Aulas gratuitas de balé clássico e outras modalidades de dança para crianças e adolescentes, sob direção de Monica Tarragó, entraram no dia a dia da comunidade, através do Ballet Paraisópolis.

Para comemorar seus 10 anos de atividade, o Ballet Paraisópolis realiza um evento no Teatro B32, que mostra suas expressivas realizações. Além de celebrar a formatura de oito alunas que completaram o ciclo de estudos de nove anos na instituição, o evento promove a criação do Grupo Jovem do Ballet Paraisópolis e apresenta o espetáculo Bando, coreografado por Christian Casarin.

Após a apresentação de Bando, as bailarinas formandas dançam variações clássicas do 2º ato do balé de repertório Paquita. Ao final de cada solo, as bailarinas receberão seus certificados de conclusão de curso livro das mãos de seus pais e da equipe do Ballet Paraisópolis.

Para Monica Tarragó, a formatura enche de orgulho toda a equipe. “Após nove anos, nossos alunos já terão seus registros profissionais como bailarinos e poderão ingressar no mercado de trabalho, além de potencializar e elevar o próprio processo artístico dentro da instituição”, ela comenta.

A criação do Grupo Jovem Ballet Paraisópolis também tem um peso significativo na trajetória do Ballet Paraisópolis e aponta na direção da criação de um grupo profissional. “Os desafios são enormes, mas estamos dando o primeiro passo para que nossos bailarinos tenham a oportunidade de circularem com trabalhos criados para o elenco, além de possibilitar uma vivência mais madura sobre o fazer e pensar artístico”, afirma Monica.

Um espetáculo que inspira o sentimento de coletividade

Bando, concebido e dirigido por Christian Casarin, é uma coreografia dançada por 13 bailarinos do Grupo Jovem Ballet Paraisópolis, elenco que nasceu sob o desejo de desenvolver, em dança, o trabalho de coletividade entre seus integrantes.

Para o coreógrafo Christian Casarin, Bando é um amontoado de sensações, situações e coreografias, que cria uma dramaturgia única, onde os bailarinos ocupam os espaços, correm por ele e bordam trajetos e paisagens pessoais, transformando e possibilitando a chegada do novo. “Com uma trilha sonora diversa e figurinos fluorescentes, o espetáculo reflete a relação entre grupo, indivíduo e natureza”, ele explica.

Foto: Marcos Alonso

Sobre o Ballet Paraisópolis

Fundado em 2012, tem como objetivo transformar a vida de famílias que moram na segunda maior comunidade de São Paulo, oferecendo aulas gratuitas de balé clássico e outras modalidades às crianças e jovens da região, entre 8 e 20 anos de idade, e com isso proporcionar contato direto com a arte, educação e cultura.

Com duração de nove anos e ministrado por uma equipe composta de seis professores renomados na área de dança, o curso começa com um teste de seleção para os interessados e termina com a formação – abrindo novas possibilidades e caminhos profissionais na área da dança. Nos primeiros anos de curso, os alunos realizam duas aulas semanais de balé clássico. A partir do quarto ano, são introduzidas aulas de dança contemporânea. A longa trajetória de estudos fundamenta a formação dos futuros bailarinos e bailarinas. As atividades são realizadas na sede do Ballet Paraisópolis, localizada dentro da comunidade de Paraisópolis, na zona sul de São Paulo. Lá os alunos usufruem de uma estrutura apta para a prática de balé e contam ainda com sessões de fisioterapia, pilates e orientação nutricional e pedagógica. Atualmente, o projeto social beneficia diretamente 200 crianças e jovens. Outros 2 mil aguardam na fila de espera.

Ao longo de seus dez anos de atividades, o Ballet Paraisópolis já se apresentou em diversos palcos brasileiros, como Teatro B32 (2021), Auditório Ibirapuera (2015 a 2019), Theatro Municipal de São Paulo (2017 e 2020), MASP (2017), Tribunal de Justiça de São Paulo (2015), Teatro Municipal de São Sebastião (2016). Em 2019 fez sua estreia internacional como convidado da XVII Gala New York da Brazil Foundation, nos Estados Unidos. Participou de festivais como o de Joinville (2017, 2018, 2019 e 2021), o VIII Festival Guapira em Dança (2017) e o Festival Bravos Excellence (2015), sendo premiado por diferentes coreografias em categorias diversas. Desfilou no carnaval de São Paulo ao lado da G.R.E.S. Acadêmicos do Tatuapé (2018 e 2019).

Para auxiliar no desenvolvimento da instituição e na realização de palestras, oficinas e workshops, o Ballet Paraisópolis se apoia na aplicação de recursos provenientes das leis de renúncia fiscal, tais como a Lei Rouanet e o Programa de Ação Cultural (ProAc ICMS). Por ser uma instituição sem fins lucrativos, o BP está apto a receber doações diretas.

Site oficial: balletparaisopolis.org.br

Facebook: @BalletParaisopolisSP

Instagram: @balletparaisopolis

Ficha técnica – Direção geral: Monica Tarragó. Direção artística e coreografia: Christian Casarin. Elenco: Grupo Jovem Ballet Paraisópolis. Produção: Monica Tarragó Produções Artísticas. Diretor administrativo: Jorge Tarragó Papaseit. Assistentes de produção: Anna Tagliaferro, Niedja Claudino e Priscila Pinheiro. Corpo Docente: Danielle Rodrigues, Marcio Rongetti, Monica Tarragó, Thamires Riechelmann, Weverton Aguiar e Wilson Helvécio. Figurinos: Cleuza Torres Figurinos e Acervo BP. Fotógrafos: Fernanda Kirmayr e Marcos Alonso. Vídeo: Produtora Brasileira. Iluminador: Danilo Moura. Assessoria de imprensa: Nossa Senhora da Pauta. Patrocínio: Itaú, Sodexo, BTG Pactual, Sompo Seguros e PWC.

 

Serviço:

Ballet Paraisópolis: formatura 2022 e apresentação de Bando

Dia 21 de julho, quinta-feira às 20h, no Teatro B32.

Duração: 70 minutos.

Classificação etária: livre.

Ingressos gratuitos: retirada com uma hora e meia de antecedência da apresentação, na bilheteria do Teatro B32).

Teatro B32 : Av. Brigadeiro Faria Lima, 3732 – Itaim Bibi, São Paulo. Tel. (11) 3058-9100.

Capacidade: 500 pessoas.

Estacionamento – Vallet: R$ 40,00 – Acesso pela Rua Lício Nogueira, 90. Self Park: R$ 30,00 pelas três primeiras horas e R$10,00 pelas demais – Acesso pela Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 1095.

 Recomendação do uso de máscara.