A alma caleidoscópica – e dançante – de Thom Yorke em ‘Anima’, filme de Paul Thomas Anderson

O curta-metragem ‘Anima’, estrelado por Thom Yorke, vocalista da banda Radiohead e dirigido pelo premiado Paul Thomas Anderson, tem coreografias de Damien Jalet, franco-belga que já trabalhou em companhias como Ballet C. de la B., Sasha Waltz and Guests e Paris Opera Ballet. No artigo de Solange Argon, este filme totalmente coreografado se mostra em conexão e diálogo com a gama contemporânea de produções de dança. Anima pode ser visto pelo serviço de streaming Netflix.

Bem-vinda de volta, ‘Rubedo’: Solange Argon avalia o espetáculo de 2016 de Mauricio de Oliveira e da Siameses Companhia de Dança, que retornou à cena em 2019

Por Solange Argon* Soa o terceiro sinal do teatro do Sesc Bom Retiro, em São Paulo. Os espectadores, ainda que de maneira morosa, começam a aquietar-se, à exceção de um pequeno menino que expressa a agitação típica da primeira infância. Até que, como em um passe de mágica, em poucos minutos após o início do … Continua

Wiseman, Balé da Ópera de Paris e nossa reforma previdenciária

O documentário La Danse, de Frederick Wiseman, exibido no Instituto Moreira Salles de São Paulo, estimula uma reflexão da arte-educadora Solange Argon sobre as perspectivas dos profissionais da dança brasileiros no sistema previdenciário em transformação.

Dança do inacabamento

Karma, de Rodolfo Lorandi e Maria Claudia Reginato, de Florianópolis (SC): Néri Pedroso escreve sobre esta criação, apresentada em Blumenau e Jaraguá do Sul em novembro de 2018.

Circar, dançar, perseverar*Por Jussara Xavier

Iminência do Agora surge na contramão da proliferação de solos, duos e projetos efêmeros. O espetáculo de Adilso Machado marca a promissora estreia da companhia Circar, de Florianópolis (SC).

Viva a multiplicidade* Por Jussara Xavier

Às vésperas da abertura do 10º Múltipla Dança – Festival Internacional de Dança Contemporânea, que se realiza em Florianópolis, uma de suas curadoras tece o manto da memória para conceituar aquele que é o mais importante evento neste âmbito no sul do País. Em 2017, o Múltipla Dança acontece de 20 a 27 de maio.

Vamos segurar essa marimba

“Um manifesto pela vitalidade” – é como Anderson do Carmo define a abertura do encontro Estéticas das Periferias 2016,

com o espetáculo Dos tambores ao tamborzão, de Gal Martins. A 6ª edição deste grande encontro idealizado pela Ação Educativa (http://www.acaoeducativa.org.br/), mobilizou inúmeros espaços no mês de agosto, em São Paulo, com uma programação construída colaborativamente por 33 coletivos culturais (http://esteticasdasperiferias.org.br/2016/).

Múltiplas escritas: reinventando a pertinência crítica
Texto de Anderson do Carmo: A dança é uma epistemologia

 

O texto a seguir, do artista e pesquisador Anderson do Carmo, integra a plataforma Múltiplas escritas: reinventando a pertinência crítica, coordenada pelo autor (saiba mais clicando ao lado). Em 2016, o Conectedance passa a publicar os textos do Múltiplas escritas, produzidos durante o Múltipla Dança – Festival Internacional de Dança Contemporânea, dirigido em Florianópolis (SC) … Continua